quinta-feira, 15 de maio de 2008

PEQUENAS HISTÓRIAS REAIS (1)

MAIAKOVSKI NÃO É EDUARDO ALVES DA COSTA


Escrevi um artigo intitulado "Maiakovski não é Eduardo Alves da Costa" e, em conversa com o jornalista e editor Homero Fonseca, no refeitório da CEPE-Companhia Editora de Pernambuco, no Recife, ele me pediu para publicá-lo na Revista CONTINENTE, que
dirige junto com o poeta Marco Polo Guimarães. Tudo bem. Entreguei o texto, com um exemplar do livro comentado, de autoria de Eduardo Alves da Costa, para ilustração. O artigo foi publicado na Revista CONTINENTE (número 85, Recife, janeiro/2008) com o seguinte título : "O poema que Maiakovski não escreveu". Refeito por Homero, o título ficou melhor do que o original, claro. Com o meu título, os leitores poderiam pura e simplesmente dizer : E quem porra é Eduardo Alves da Costa ?

No artigo, tentei esclarecer a verdadeira autoria de um poema que é atribuído, há décadas, no Brasil, a Vladimir Maiakovski,tratando-se, no caso, de um trecho de um poema de Eduardo Alves da Costa justamente intitulado "No caminho, com Maiakovski". O artigo foi muito bem editado, como tudo o que a revista publica.

Mas, na edição on-line da CONTINENTE, lá está mais uma vez o destino dos equívocos da vida de Eduardo Alves da Costa pregando-lhe outra peça : é que a foto do poeta, no rodapé da matéria, foi publicada/postada sobre o meu crédito, e o leitor é logo levado a entender que aquela foto é da legenda do "poeta e editor" que assina o artigo. Me encontrei novamente, no mesmo local citado, com Homero Fonseca, e ele me adiantou que o pessoal da edição on-line da revista, para evitar que o equívoco com a sua identidade persistisse, já havia retirado a foto do Eduardo Alves da Costa. E acrescentou :

- O que se pode aprender com essa história ? É que não se deve dar título a nada com o nome de alguém mais conhecido... Fatalmente o texto vai ser atribuído ao nome de quem é mais conhecido. Eu mesmo sou confundido, muitas vezes, com Homero Lacerda, daqui do Recife, empresário bem sucedido, político, vereador, deputado, presidente de um clube de futebol, um nome muito mais popular do que o meu ...

(Texto de Juareiz Correya)

Nenhum comentário: