domingo, 26 de outubro de 2008

DOIS POEMAS DE MARÍLIA ZENKNER

VIDA-ME

quero um salvo-conduto
rumo ao teu coração
aprender teu dialeto
quero ser o teu lazer
o alvo do teu liame
aprender a te viver.

por que não fazer um poema
se tu existes
e vives solta rindo
por que não fazer um poema
se ando pela casa pela noite
sonâmbula de desejo.

nossas salivas se combinam
ama-me
vida-me.



MENU

quando nossos olhos se cruzaram
estávamos lambendo os ossos de domingo
a espera do segundo prato :
risoto de coração.
quando nos olhamos frente a frente
dente a dente
eu disse : te odeio.
você disse : me passe o sal.


(da revista POESIA, número 10,
Recife, maio/1983)


__________________________________________________
MARÍLIA ZENKNER é natural de Porto Alegre (RS), onde vive.
Poemas publicados em várias revistas e jornais brasileiros. Publicou,
em 1980, o livro de poesia OBLÍQUO (edição da autora, Porto Alegre),
com ilustrações de Márcia Cardeal.

Nenhum comentário: