quinta-feira, 27 de novembro de 2008

LIVROS UNEM PERNAMBUCO E RIO GRANDE DO SUL

"Bendito o que semeia / Livros à mão cheia / E faz o povo pensar", proclamava o poeta baiano Castro Alves que poderia, muito bem, nessa bela estrofe do seu poema, após o verso "É chuva que faz o mar", relevar também a união que o livro estabelece entre os homens, Estados e culturas. Este foi o mote da 54a. Feira do Livro de Porto Alegre, que ocorreu de 31 de outubro passado até o dia 16 deste mês de novembro na capital gaúcha. Estado convidado pela Câmara Rio-Grandense do Livro, organizadora do evento, "o valeroso Pernambuco", em artigo do historiador gaúcho Voltaire Schilling, diretor do Memorial do Rio Grande do Sul, publicado no jornal ZERO HORA (sábado, 15 / novembro / 2008), foi assim elogiado : "É esse o Estado e seus homens de letras que a Feira do Livro decidiu homenagear este ano. Nada mais oportuno, nada mais justo." Pessoalmente, o prefeito reeleito da capital gaúcha, José Jogaça, fez questão de reconhecer, no estande de Pernambuco, ao ser presenteado com um exemplar do Álbum de Pernambuco e seus arrabaldes, publicado pela CEPE, a importância de Pernambuco e sua cultura no cenário nacional.

Com a coordenação da Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, e o apoio da FUNDARPE, a Secretaria da Casa Civil / Governo de Pernambuco não mediu esforços para tornar esse encontro entre gaúchos e pernambucanos, por meio do Livro, um significativo gesto de união e uma demonstração expressiva da identificação cultural entre dois Estados brasileiros que, embora distantes geograficamente, se irmanam, em suas trajetórias históricas e em seus embates políticos, como escreveu o historiador pernambucano Evaldo Cabral de Mello, lembrado no artigo de Voltaire Schilling.

Na abertura da Feira, o escritor Ariano Suassuna foi aplaudidíssimo com a sua aula-espetáculo NAU e foi também homenageado, ao lado de Gilberto Freyre (retrospectiva "Intérprete do Brasil") com a exposição "Ariano Suassuna : iluminogravuras, desenhos e o alfabeto armorial", no Santander Cultural, dirigido pela pernambucana Liliana Magalhães. As duas exposições, inauguradas no dia 31 de outubro, estão abertas para visitação pública até o dia 15/fevereiro/2008.

No estande de Pernambuco, especialmente montado para exposição/venda de 315 títulos produzidos por mais de 200 autores e publicados por 13 editoras pernambucanas, a produção literária e editorial mais recente e atualizada do nosso Estado encantou os visitantes. Livros vendidos "à mão cheia", presenteados com alegria, doados a bibliotecas públicas, escolares e comunitárias, e o lançamento de 23 títulos, com a presença dos nossos autores, na Praça de Autógrafos, durante os dias da Feira, evidenciaram, para os organizadores, visitantes e a competente e carinhosa Imprensa gaúcha, o valor da produção literária e editorial de Pernambuco.

Citando a inspiradora amizade entre dois notáveis escritores, um gaúcho (Érico Veríssimo) e um pernambucano (Hermilo Borba Filho), Leda Alves, presidente da Companhia Editora de Pernambuco-CEPE, na apresentação do catálogo publicado para distribuição especial na Feira, anteviu tudo isso ao afirmar que "os livros sempre poderão ajudar a diminuir distâncias, aproximando culturas e sedimentando amizades".

______________________________________
Artigo publicado no DIARIO DE PERNAMBUCO
(Recife, terça-feira, 25 / novembro / 2008).

Nenhum comentário: