domingo, 26 de setembro de 2010

ARES DE SETEMBRO, de Delasnieve Daspet

Eis setembro,finalmente !
A delicadeza flutua no ar.
Um sorriso desconhecido.
Um adeus de alhures.
O sol suave da tarde bate
Cálido em meus cabelos...

Flores, abelhas, beija-flor,
Na primavera o ciclo se renova.
Pássaros cantam.
Formigas em frenético vai e vem
Parecem gritar : Vida ! Vida !
Chega, magnânimo,setembro !

Alfazema, rosas, araras azuis,
Enfeitam o campo e a cidade...
Nem o ar seco da tarde,
O calor das ruas,
O escasso dinheiro,
A angústia que maltrata,
A ansiedade,
Ou a tua ausência,
Nada !... Nada !...
Nada mudará a beleza dos dias !

Todos os problemas ficam menores...
É setembro pintando um novo pano de fundo,
Com novos atores e a profusão de cores.

E a vida chega,
Com a alegria da água correndo no regato
E a combinação mágica do tempo que não voltará a existir.

Ares de setembro que me toma, embriaga,
Com assombro e magia me mostra que sou única,
Singular, pois só eu tenho as minhas respostas,
Onde quer que eu esteja, estou apenas no início
Pois nasço agora.

A vida que se renova com a primavera
E me mostra que serei eu, para sempre,
Chorando, sonhando, amando, odiando,
Imperfeita, solitária, um ser humano
Que chegou em setembro !


(Campo Grande, MS, 10/setembro/2003)




______________________________________
DELASNIEVE DASPET nasceu em Porto Murtinho,
Mato Grosso do Sul. Poetisa, advogada. Realiza
um importante trabalho social, em benefício de
menores carentes, em Campo Grande (MS), onde
reside. É sub-secretária geral da Associação
Poetas del Mundo (http://www.poetasdelmundo.com).
Publicou os livros de poesia POR UM
MINUTO E PARA SEMPRE, TERTÚLIA NA PRIMAVERA,
e diversos poemas em 3 antologias brasileiras.
Na Internet, publica blogs e o site DELASNIEVE
DASPET (http://www.delasnievedaspet.com.br)

Um comentário:

Delasnieve Daspet disse...

Juareiz Correya,

Poeta - obrigada pela divulgação.
Gosto mesmo desse poema.
Muito grata!

Delasnieve