sábado, 28 de maio de 2011

CONTRARIANDO O POETA, de Antonino Oliveira Junior

Espera,
Logo vou ultrapassar essa estrada,
Cuja bruma densa
Deixa opaca a retina dos meus olhos...
Sei que devo encontrar-te
E será logo, mas não serei breve;
Espera,
Meu coração camaleônico
Toma agora uma forma única,
Estagnado na cor que reflete
O negro dos teus olhos,
O calafrio emotivo de tua pele,
A maciez rósea dos teus seios,
O mistério do teu ventre acolhedor;
Espera,
Vou entregar-me cegamente
Como quem voa um voo sem descida,
E, uma vez em teus braços,
Gritarei para o mundo
Meu discordar do poeta,
O meu brado de entrega :
QUE ESTE AMOR QUE ME INCENDEIA
E ME AQUIETA O CORAÇÃO
NÃO SEJA INFINITO ENQUANTO DURE
MAS QUE DURE POR SER ELE INFINITO.



_________________________________
ANTONINO OLIVEIRA JUNIOR nasceu e vive
no Cabo de Santo Agostinho (PE). Dois livros
publicados. Fundador da "Casa da Memória do Cabo".
É membro da ACL-Academia Cabense de Letras.
Publica, na Internet, o BLOG DE ANTONINO
(http://antoninojr.blogspot.com)

Nenhum comentário: