quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

UM CAVALHEIRO DA SEGUNDA DECADÊNCIA, de Hermilo Borba Filho : 4 romances que são um só




MARGEM DAS LEMBRANÇAS


     O escritor é o seu melhor personagem e, em suas confissões, de forma franca, irreverente, desbocada, inicia, na década de 1930, em Palmares, a cidade onde nasceu, a sua trajetória humana. O jovem Hermilo promove as suas descobertas amorosas, sexuais, artísticas e políticas, integrado à vivência do povo - identificado com as suas virtudes e a sua degradação -,  numa narrativa crua, nua, luxuriosa e densamente poética.  A sua aventura humana transfigura a realidade de uma época brasileira de angústia e sofrimento e, particularmente, com os seus dramas, alegrias, pequenas conquistas e dissabores cotidianos, torna mais significativa a própria vida e a da sua gente.   



A PORTEIRA DO MUNDO


   Luta pela sobrevivência no Recife, empregos sem futuro, e o sonho de realização artística como homem de teatro. Mais amadurecido, o personagem Hermilo amplia, na capital pernambucana da década de 1940, o território das suas provações e emoções humanas.  Mergulha com intensidade na nova cidade de águas (como a sua Palmares), criador e criatura, devorando e sendo devorado, onde o erotismo é a sua religião.  Revolta-se com o Recife invadido pelos norte-americanos, o mundo está em guerra, e, evolui profissionalmente, dedicado à cultura artística, participando da administração pública da cidade.  Volta a Palmares para encontrar a primeira grande mulher da sua vida. Já é um encenador de projeção e dramaturgo.     



O CAVALO DA NOITE


     São Paulo, rio de concreto, mar de gente, cinema, televisão, amizades passageiras, crenças desfeitas, um mundo de quase 400 anos completamente novo.  Sem tempo de solidão, Hermilo é um homem dedicado à família, vivendo com a mulher e os filhos menores vindos do Recife, estacionado no emprego seguro de uma revista ianque.  São Paulo é uma cidade que não amanhece.  Boemia cultural, artes, artistas, taras, opulência paulistana, vidas caras e vazias.  A morte da mãe, lembrança do pai e irmãos mortos, é um retorno ao seu mundo vivo verdadeiro.  O primeiro romance publicado, dias cada vez mais cheios de livros, teatro profissional, dramaturgia nordestina na maior metrópole da América do Sul.  E uma mudança repentina : desemprego, mentiras, safadezas, tempos difíceis, a cidade grande cada vez menor.      



DEUS NO PASTO


      Volta ao Recife, ilha, continente, rio, mar. Novos caminhos de Hermilo, com experiências educacionais, literárias, teatrais, políticas, em busca da identidade cultural nordestina. Recife da década de 1960, onde vivem, o homem a cidade, agudas transformações sociais.  Encontro com a segunda grande mulher da sua vida.  As confissões de um escritor uno, indivisível, original, e ao mesmo tempo coletivo, múltiplo.  Ascensão e queda dos governos populares da capital e do Estado de Pernambuco.  O tempo negro da ditadura militar brasileira : perseguições, torturas, mortes, expulsão de amigos estrangeiros e exílio de compatriotas. Em plena maturidade, um corajoso testemunho de vida autêntica e profunda. O relato singular da sua vida se confunde com a tragédia do povo do seu país. 

                                                                                               (Texto de Juareiz Correya)

______________________________________________________________________

        A tetralogia de romances UM CAVALHEIRO DA SEGUNDA DECADÊNCIA (Margem das Lembranças, A Porteira do Mundo, O Cavalo da Noite, Deus no Pasto), de Hermilo Borba Filho, foi lançada pela Edições Bagaço, do Recife,  nesta segunda-feira, dia 5/dezembro/2011, às 19 horas, na Fundação Joaquim Nabuco - FUNDAJ (Rua Henrique Dias, 609, Derby, Recife, PE).  Uma produção editorial inédita no mercado cultural brasileiro.  Os romances da tetralogia foram lançados, pela primeira vez, em conjunto, no Brasil.   Na ocasião, lançamento (DVD) e exibição do importante documentário "Hermilo no grande teatro do mundo", com roteiro e direção de Carla Denise, realizado pela Massangana Multimídia Produções/FUNDAJ/Ministério da Educação/Governo Federal.

Nenhum comentário: