sábado, 27 de outubro de 2012

O ASSASSINATO DE MAIAKOVSKI, de Juareiz Correya





Sem sóis de gelo 
Noites brancas
Máquinas cantando 
Operários no Poder 
Poetas-Soldados 
Propagandas  poéticas 
Manifesto no peito
Maiakovski foi morto. 

Quem matou Maiakovski ?
Pergunta a mão que datilografa a notícia 
Perguntam estudantes estupefatos com o crime 
Perguntam nomes e anônimos da sua Moscou 
Perguntam os solitários  transeuntes e os corações solidários 
Na imensidão do mundo deserto e inútil sem o poeta. 

Quem matou Maiakovski
Não foi a morte de Essenine
- O que não soube viver  -
Não foi a Polícia Política Soviética das Letras 
Não foi Stalin e a Burocracia Estatal da URSS
Nem um crítico desmoralizado
Ou um escritor medíocre e nulo em sua inveja. 

Quem matou Maiakovski 
Não foi o seu editor de honra traída 
Não foi Lília Brik, a mulher do seu editor e sua amada amante 
Não foi a sua mão armada como um suicida 
Nem todo o seu coração incendiado que não cabia na Rússia e no Universo  

Quem matou Maiakovski
Foi um Deus que vivia dentro dele
E que morria por ele :
Quem matou Maiakovski foi o Amor.  


Recife, outubro de 2012.


__________________________________________
Do livro inédito POEMAS DO NOVO SÉCULO
 

Nenhum comentário: