sexta-feira, 30 de maio de 2008

POEMAS DE JOSÉ TERRA

ESTAÇÃO SAGITÁRIO

Inauguro o fogo
Por uma hélice de luz
E por um rascunho de mulher


CARREIRA LITERÁRIA

Escreveu 3 livros de poemas
Publicou uma antologia
E morreu de cachaça no Mercado da Boa Vista


INDIGESTÃO NATALINA

Ainda que a humanidade
Insista em me vestir de cinza
Com todas as traças

Eu subverto todos os dezembros
Numa ceia de versos
Ao lado do menino Jesus


(Recife, 2008).

quinta-feira, 29 de maio de 2008

3 POEMAS DE JUAREIZ CORREYA

LINGUAGEM

Não me falem, poetas,
Da arquitetura do verso,
Da forma perfeita da palavra,
Da poesia como um tributo à Língua.

E de purismo
Fonte poética
Mensagem... estética...
Ou qualquer besteira acadêmica.

Os versos de verdade
São palavras destroçadas
E a liberdade não cabe
Em medida nenhuma
Como o grito bárbaro
Que o coração proclama :
Uma pátria sem fronteiras
Todas as desordens instituídas
E uma solidão de terra devastada
No rosto da nossa humanidade.



ALMA BRASILEIRA

para a poetisa luso-brasileira
Maria de Lourdes Hortas.


Que alma tens
Que chora saudade
À mesa ?
- Portuguesa.

Que alma és
Que gritas rubra
E te ufanas
da pobre nobreza ?
- Negra africana.

Que alma
Vive em ti,
Ainda, humana ?
- Índia americana.



BOCA PINTADA NÃO DIZ NADA

Vou apagar a tua boca,
disse o poeta, com raiva
do batom vemelho da Avon
e de todas as fábricas de cosméticos
que alteravam a beleza natural
da sua mulher :
Queria a sua boca
clara límpida nua pele macia
sexo desenhado no rosto alvo
de vermelho apenas o sangue
aflorado nos lábios
anunciando a língua em fogo
e suas promessas de prazer.