sábado, 21 de janeiro de 2012

O BRASIL NO "SALÃO DO LIVRO DE PARIS" EM 2012 : É HORA DE HERMILO VOLTAR A SER PUBLICADO NA FRANÇA




     "O Brasil vai voltar a participar do Salão do Livro de Paris, em 2012, após anos de ausência. Galeno Amorim, presidente da Biblioteca Nacional, reuniu-se esta semana na capital francesa com dirigentes do setor de cultura de lá.  Segundo ele, "está todo mundo querendo estabelecer parcerias com a gente."  Aliás... O Brasil, diz Galeno, deve ser, mais uma vez, o país homenageado do evento, uma das principais feiras de livro do mundo." (O GLOBO, Coluna Ancelmo Gois, 20/01/2012)

     Diante desta notícia, enviamos, imediatamente, pelo Twitter e pelo Facebook (onde a divulgação já circula), a seguinte sugestão ao presidente da Fundação Biblioteca Nacional :

     "Sugerimos que a Fundação Bibloteca Nacional, a exemplo de ações empreendidas para tradução de obras de Clarice Lispector e de Jorge Amado, para o alemão, desenvolva ações para a reedição francesa (publicação da Editora Stock, de Paris, em 1975) do romance MARGEM DAS LEMBRANÇAS - Volume 1 da tetralogia "Um Cavalheiro da Segunda Decadência" -,  de Hermilo Borba Filho, publicado no Brasil pela Editora Civilização Brasileira, Rio, 1966."


     O romance MARGEM DAS LEMBRANÇAS, de Hermilo Borba Filho, já foi projetado também na Argentina (tradução da Ediciones de La Flor, de Buenos Aires, 1969).  Neste mesmo ano, coincidentemente, Hermilo recebeu o título de "Chevalier de L'Ordre des Arts et des Letters", outorgado pelo Governo Francês, sendo Ministro da Cultura o escritor André Malraux.
     MARGEM DAS LEMBRANÇAS, reeditado no Brasil em 1993 (Editora Mercado Aberto, Porto Alegre, RS), foi relançado, em 2011, pela Edições Bagaço, do Recife, PE, junto com os outros volumes da tetralogia "Um Cavalheiro da Segunda Decadência" : A PORTEIRA DO MUNDO (Volume 2), O CAVALO DA NOITE (Volume 3) e DEUS NO PASTO (Volume 4).  - Texto de Juareiz Correya


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

POESIA VIVA DO RECIFE : "Recife em Dezembro", de César Leal




Ao morno céu de dezembro 
a vida passa flotando 
e o sol se oferta ao Recife 
e às dunas da praia atlântica.   

O calor inventa as nuvens 
de alaranjados suores 
sobe a fadiga às janelas
e dorme nos escritórios.   

Há luzes nas avenidas,
nas praças, nos "sky signs",
doando seu triste às cores 
que há no ritmo da tarde.   

Telhados de tantos séculos,
céu veloz sobre a cidade,
todo o Recife incendiado
entre as chamas do Natal. 

Velhas e tantas igrejas,
tantas pontes inventadas, 
sobre as pontes, velozmente
passa a vida em disparada.   

Soberbo perfil de touro,
burgo velho enfeudalado :
- eis Recife, um vasto império
por mocambos coroado.     


(da antologia POESIA VIVA DO RECIFE,
organizada por Juareiz Correya)


_________________________________________________
CÉSAR LEAL - Nasceu em Saboeiro (CE). Jornalista, crítico
de poesia, professor de teoria literária (UFPE). Redator do
suplemento literário do Diario de Pernambuco. Membro da Academia
Pernambucana de Letras. Prêmios nacionais e internacionais 
de poesia. Publicou mais de 10 livros de poesia e figura em
inúmeras antologias brasileiras.