sábado, 1 de novembro de 2008

1.o PRÊMIO NACIONAL LITERATURA NO CELULAR

Do Instituto Maximiano Campos

"O curador da Fliporto, escritor Antonio Campos, a GOLMOBILE e a Comissão Julgadora agradecem a todos os participantes desta iniciativa inédita no Brasil : tecnologia de ponta
abrindo mais um poderoso canal de veiculação da arte literária. Eis os vencedores desta primeira edição histórica do Primeiro Prêmio Nacional de Literatura no Celular ":

Primeiro lugar
MALU LIMA (Recife - PE) / 81-86870665

Segundo lugar
JUAREIZ CORREYA (Recife - PE) / 81-88973700

Terceiro lugar
MARIA NAZARÉ DE CARVALHO LAROCA
(Juiz de Fora - MG) / 32-88144507

______________________________________________
Acesse o site www.fliporto.net / Festa Literária Internacional
de Porto de Galinhas, Ipojuca, Pernambuco.

Fliporto 2008 : "I Prêmio Nacional de Poesia no Celular"

Reencontrei o vento.
Renasceu do sol, límpido, sereno.
Passou pelo meu corpo e pensamento.
Varreu meu coração com amor.
Veio o arco-íris, levou embora a dor.

MALU LIMA / Primeiro lugar
(Recife - Pernambuco )


A POESIA

Não é verdade a poesia
porque é bela.
A poesia é bela
Porque é verdade.

JUAREIZ CORREYA / Segundo lugar



Meu tempo valsa Chopin em ré bemol maior.
Sessenta aniversários e o presente da dor.
Mas um sol acende a alma :
Tempo de dançar com as estrelas.

MARIA NAZARÉ DE CARVALHO LAROCA /
Terceiro lugar


_______________________________
Transcrito do site da Festa Literária Internacional
de Porto de Galinhas - FLIPORTO 2008 (www.fliporto.net),
Ipojuca, PE.

domingo, 26 de outubro de 2008

DOIS POEMAS DE MARÍLIA ZENKNER

VIDA-ME

quero um salvo-conduto
rumo ao teu coração
aprender teu dialeto
quero ser o teu lazer
o alvo do teu liame
aprender a te viver.

por que não fazer um poema
se tu existes
e vives solta rindo
por que não fazer um poema
se ando pela casa pela noite
sonâmbula de desejo.

nossas salivas se combinam
ama-me
vida-me.



MENU

quando nossos olhos se cruzaram
estávamos lambendo os ossos de domingo
a espera do segundo prato :
risoto de coração.
quando nos olhamos frente a frente
dente a dente
eu disse : te odeio.
você disse : me passe o sal.


(da revista POESIA, número 10,
Recife, maio/1983)


__________________________________________________
MARÍLIA ZENKNER é natural de Porto Alegre (RS), onde vive.
Poemas publicados em várias revistas e jornais brasileiros. Publicou,
em 1980, o livro de poesia OBLÍQUO (edição da autora, Porto Alegre),
com ilustrações de Márcia Cardeal.