quarta-feira, 1 de julho de 2009

A PALAVRA "AMERICANTO"

Morando em São Paulo, escrevi, no ano de 1972, um poema então intitulado "Tributo à Geração Beat". Eu tinha exatos 21 anos de idade.
Voltei a Palmares (PE), minha cidade natal, no início de 1973, e, publiquei no Recife, em 1975, um livreto com o título AMERICANTO AMAR AMÉRICA & OUTROS POEMAS. Ao organizar os textos para a publicação desse livreto, li e reli o poema paulistano, percebi que havia criado um canto de amor com a América, repensei o título, inventei a palavra Americanto e completei, com Amar América um título novo que sintetizava bem e melhor definia o meu poema escrito inicialmente com o título "Tributo à Geração Beat".
Anos depois o livreiro e amigo Tarcísio Pereira, da Livro 7, do Recife, me presenteou com um belo exemplar do livro CANTO GERAL, de Pablo Neruda, publicado no Brasil, em 1973, pela carioca Editora Record. Conheci então o monumental poema do gigante chileno e fiquei chapado com o que li : na abertura do livro, um pequeno poema intitulado "Amor América".
Ainda no Recife publiquei, no ano de 1982, o livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA (Nordestal Editora ), reunindo a minha poesia publicada e inédita até então. E, uma década depois, com a quadrinização do poema criada pelo desenhista pernambucano Roberto Portella, publiquei o álbum Americanto Amar América (Edições Bagaço / Nordestal Editora, Recife, 1993).
No ano de 2007 participei, na III FLIPORTO - Festa Literária Internacional de Porto de Galinhas (Ipojuca, PE), a convite da poetisa Lucila Nogueira, de uma "roda de poesia latino-americana", ao lado de poetas argentinos, uruguaios, chilenos, cubanos, porto-riquenhos, equatorianos, venezuelanos, peruanos, bolivianos e outros brasileiros, e relancei, impresso em jornal de 4 páginas (papel cuchê, formato 21 x 30 cm), o poema Americanto.
Já constatei, na Internet, em pesquisa no Google, que a palavra "Americanto" existe no Rio Grande do Sul (é nome de um bar, de um grupo de música folclórica, de um blog, de um site da "Americanto Editora e Produtora Cultural-Latino Americana" e de um "Festival Musicanto Sul-Americano de Nativismo"), em Santa Catarina ("Trio Americanto", de Itajaí), em São Paulo ("Americanto", programa ao vivo da TV Integracion, online), na Argentina (batismo de um "Coro Americanto", do "Duo Americanto", do "Festival de Música Americanto", em Mendoza, que existe desde 1984, e título da antologia "Americanto", série de autores americanos, da El Editor Interamericano, Buenos Aires, 1988), no Peru (grupo musical "Latino Americanto", "El Festival Americanto", o site "Americantos - Cantos y Melodias de América", um Coro de Câmara "Americanto"), no Chile ("Americanto", site sobre música chilena de raiz, e programa de música folclórica chilena transmitido pela Rádio Nuevo Mundo), na Bolívia (onde existe um grupo musical "Americanto"), no México ("El Grupo Americanto", de música andina, em Puebla), nos Estados Unidos (um site sobre imigração denominado "Americanto.com", um coral "Americanto", de Nova Jersey) e até na França ("Choeur Americanto", de Auvergne, com o site http://americanto.ifrance.com)
Continuando no Google : qualquer internauta pode constatar mais de 74 mil registros sobre a palavra AMERICANTO.
Não digo que essas manifestações e realizações artísticas foram criadas a partir do meu poema (embora todas as denominações citadas tenham data de origem posterior a da gênese do meu Americanto, assim publicado em 1975), mas não posso deixar de registrar a força agregadora e tão bem identificada com a alma latino-americana desse neologismo que eu criei, solitariamente, há 34 anos, no Recife, apenas a partir da idéia de fundir as palavras América e Canto para intitular o meu poema. O que a palavra AMERICANTO passou a ser, anos depois, em outras cabeças e corações do meu País e de outros países já é outra história...

JUAREIZ CORREYA
(Santo Amaro, Recife, 2009).

terça-feira, 30 de junho de 2009

Deputado Sérgio Leite vê pioneirismo da Fundação Regional Hermilo no Nordeste

O deputado estadual Sérgio Leite (PT-PE), em Requerimento (No. 3539/2009), de 11/06/2009, propôs a transcrição, na Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco, do artigo O Governo de Pernambuco e a Fundação Hermilo, "escrito pelo ex-presidente da Fundação Hermilo, Sr. Juareiz Correya, publicado no Diário de Pernambuco em 11 de junho de 2009."
O artigo já foi publicado também neste blog (dia 11/ junho / 2009) e mereceu esta brilhante Justificativa no importante Requerimento do deputado estadual Sérgio Leite :

"Esse artigo registra alguns fatos ligados ao Cine Teatro Apolo de Palmares - o mais antigo teatro do Interior pernambucano, construído logo após a construção dos teatros de Santa Isabel e Apolo, propondo uma redefinição para aquele espaço cultural, redimensionando as atividades daquele equipamento.
A transcrição nos anais desta Casa, que estou solicitando para o referido artigo, é de muita
importância porque registra um novo viés nessa ação cultural capitaneada pela competente companheira Luciana Azevedo, sob a gerência do auspicioso Secretário de Estado Ariano Suassuna.
O autor do artigo propõe uma nova era para o equipamento, dialogando com os diversos segmentos da cultura do nosso povo e valorizando as mais diversas expressões concentradas na Zona da Mata Sul, transformando aquela região numa região pioneira em todo o Nordeste brasileiro.
Diante da realidade vivida pelos mais diversos setores da cultura pernambucana, que comemora um incremento em seu fomento e difusão e do novo olhar que está sendo lançado pelos gestores culturais do nosso Estado com um viés econômico e comprometido com as mudanças de paradigmas, indicadores e novos cenários, é que solicitamos aos Senhores Deputados presentes a esta sessão da Casa de Joaquim Nabuco que leiam com atenção o artigo que passo a transcrever, na íntegra, de acordo com o que foi publicado no Diário de Pernambuco."

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Programa BNB de Cultura : R$ 800 mil para a literatura nordestina

Os bancos sociais do Governo Federal, BNB (Banco do Nordeste do Brasil) e BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)) uniram-se, em parceria, na Edição 2010 do Programa BNB de Cultura, e garantiram a duplicação de recursos para a cultura nordestina, totalizando o investimento de 6 milhões de reais (na edição de 2009 os recursos destinados, patrocinados exclusivamente pelo BNB, totalizaram 50% do valor da edição atual).
Os recursos destinados para as áreas de Literatura, Música, Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual e Artes Integradas ou Não Específicas, do Programa BNB de Cultura, em parceria com o BNDES, devem aprovar o patrocínio, em sua Edição 2010, para a realização de mais de 200 projetos de produtores culturais nordestinos. Para a área de Literatura estão destinados R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) que viabilizarão o patrocínio de mais de 30 projetos que contemplem ações de incentivo à leitura e formação de novos leitores, de valorização e estímulo à criação e circulação de acervos biobibliográficos, de ampliação e renovação de bibliotecas públicas e escolares, além de produção literária individual ou coletiva em todos os estilos, dirigidas ao público adulto e / ou infantil, compreendendo a edição de livros, folhetos de cordel, revistas, histórias em quadrinhos, publicações eletrônicas, pesquisas culturais e similares, entre outros. Serão priorizados os projetos com temáticas da cultura do Nordeste e do norte dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo (área de atuação do BNB) que não têm encontrado espaço de distribuição e comercialização.
As inscrições, desburocratizadas e acessíveis, estão abertas, a partir desta segunda-feira (dia 29/junho) até o dia 24/julho/2009. Os resultados da aprovação dos projetos serão divulgados no dia 30/outubro/2009. Regulamento e formulários do Programa BNB de Cultura - Edição 2010 podem ser acessados no site www.bnb.gov.br