sábado, 28 de dezembro de 2013

BIBLIOTECH : a primeira biblioteca pública dos Estados Unidos sem livros impressos





     A primeira biblioteca pública totalmente digital dos Estados Unidos foi aberta recentemente no condado de Bexar County, no Estado do Texas. Agora,  1 milhão e 700 mil habitantes da região podem acessar gratuitamente o acervo com cerca de 10 mil obras.  Melhor, para ter acesso aos livros não é necessário se locomover até o prédio físico, basta acessar a Internet.

     O projeto BIBLIOTECH foi desenvolvido pelo juiz Nelson Wolff, um amante da literatura e colecionador de obras raras, também responsável por levar ao condado uma biblioteca com livros impressos de US$ 38 milhões na década de 1990.  A nova empreitada custou apenas US$ 2,4 milhões. "Eu olho hoje para aquela biblioteca e fico orgulhoso, mas penso : o que vamos fazer com ela ?", disse Nelson Wolff sobre a sua antiga obra, em entrevista ao site CNet. 

     O prédio físico da BIBLIOTECH se localiza na cidade de San Antonio. Para funcionar durante 8 horas diárias, a biblioteca tem apenas duas funcionárias, as jovens Ashley Eklof e Catarina Velasquez.  "Nós podemos focar nas necessidades da comunidade e não temos que lidar com os processos físicos dos livros", explicou Ashley.


CONDIÇÕES DE USO 

     Para ter acesso ao acervo, os moradores do condado podem se registrar online e baixar os títulos em seus próprios tablets e computadores.  Caso a pessoa não tenha acesso à Internet ou precise de "leitores", pode se dirigir à sede física da biblioteca.  

     Estão à disposição da população 800 e-readers, sendo 200 especiais para crianças, 48 computadores, 10 laptops e 40 tablets.  Os "leitores" podem ser emprestados por duas semanas e eles já vão carregados com as obras escolhidas.  Caso não sejam devolvidos no prazo, o usuário recebe multa diária de U$ 1 até o 14o. dia. A partir de então, o aparelho é dado como perdido e a multa de U$ 150 é adicionada à conta.

     A duração do empréstimo dos livros digitais é de 14 dias, mesmo que baixados no leitor próprio do usuário.  A partir desse período, a obra é excluída do software utilizada para distribuição e leitura.    


(Divulgação de Roberto Azoubel /
 REDE NORDESTE LLL -
 livreiros-e-editores-do-nordeste@googlegoups.com) 

____________________________________________________ 
Transcrito do GLOBO.COM / 
http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed775 



terça-feira, 17 de dezembro de 2013

ELIANE BRUM : "VAGINA, UMA BIOGRAFIA", DE NAOMI WOLF






"A revolução ocidental sexual falhou. 
 (...) 
 Ao contrário do que somos levados a crer, a vagina está longe de ser livre no Ocidente nos dias de hoje. Tanto pela falta de respeito como pela falta de entendimento do papel que ela exerce."  (Naomi Wolf, em VAGINA, UMA BIOGRAFIA). 


Quem escreve sempre tem um desejo. O meu é que talvez, em vez de dizer "que nojo!", ao ler este texto você contenha a agressão ou a piada, sempre mais fáceis porque calam a possibilidade de reflexão.  E comece a pensar sobre a vagina e o papel que cada um de nós desempenha, tanto nos atos quanto nas palavras quanto nas omissões, mesmo naqueles comentários que você acredita ser apenas uma mostra de humor, na reprodução de uma cultura de estupro e de morte das mulheres.  Morte física, mas também psíquica e criativa. Morte do desejo. Uma cultura que tem ampliado e alcançado parâmetros novos com o poder de difusão da Internet.

Se a violência contra a vagina tem aparecido - e em alguns casos aumentado - em diferentes espaços da sociedade, é legítimo pensar que o ímpeto de fortalecer a resposta repressiva ao desejo feminino possa revelar que as mulheres estejam assumindo um controle maior sobre seus corpos e a sua sexualidade.  Neste sentido, a necessidade de fazer vítimas seria uma reação ao fato de as mulheres se recusarem com maior veemência a ocupar o lugar de vítimas. Nesta hipóteses, a Marcha das Vadias, que começou no Canadá e ganhou o mundo e também o Brasil, é um exemplo contundente de uma ação feminina que desloca o imaginário, ao se apropriar da palavra da violência e transformá-la numa afirmação de potência, embaralhando a lógica machista.  Mais uma vez a vagina vive tempos turbulentos. Que são tempos de violência, já sabemos. Que sejam tempos de libertação, depende de nós.
 (ELIANE BRUM, escritora, repórter e documentarista - http://twitter.com/brumelianebrum)


___________________________________________________
Transcrito do jornal EL PAÍS 
(http://brasil.elpais.com/brasil/2013/12/09/opinion) 



                                                        

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

CEPE divulga premiação do "Concurso de Literatura Infantil e Juvenil 2013" : R$ 32 mil em prêmios




     A Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, da Secretaria da Casa Civil / Governo de Pernambuco,  comunica o resultado do Concurso Cepe de Literatura Infantil e Juvenil 2013  

      Categoria Infantil  

      Primeiro lugar :
      AS PATUSCADAS DE UM PEQUENO LIVRO INFANTIL
      (PATUSCADA ? O QUE É PATUSCADA ?)
      Autora : Lilian Deise de Andrade Guinski
      Local : Curitiba, Paraná
      Prêmio : R$ 8.000,00

      Segundo lugar :
      ALGUÉM VIU MINHA MÃE ?
      Autor : André Telucazu Kondo
      Local : São Paulo, São Paulo
      Prêmio : R$ 5.000,00

      Terceiro lugar :
      A VILA FORMOSA
      Autor : José Victor de Souza Junior
      Prêmio : R$ 3.000,00


      Categoria Juvenil 

      Primeiro lugar :
      DIAS DE TEMPESTADE
      Autora : Jurema Couto Vasques
      Local : Santos, São Paulo
      Prêmio : R$ 8.000,00

      Segundo lugar :
      A GUARDIÃ - A CHAVE DO TEMPO
      Autora : Isabela Albuquerque Maranhão
      Local : Goiânia, Goiás
      Prêmio : R$ 5.000,00

      Terceiro lugar :
      A MENINA DA LAGOA DE CRISTAL
      Autora : Cláudia Regina Lopes Lins
      Local : Maceió, Alagoas
      Prêmio : R$ 3.000,00


       Menção Honrosa
       CONFABULANDO EM CORDEL
       Autora : Lêda Rejane Accioly Sellaro
       Local : Recife, Pernambuco


      A Comissão Julgadora foi formada pela escritora e professora universitária Luzilá Gonçalves Ferreira, a escritora e pesquisadora Vanja Carneiro Campos e o poeta e professor universitário Wellington de Melo.






segunda-feira, 18 de novembro de 2013

DRAMA DE UM POETA : ESTADO DE POBREZA OU POBREZA DO ESTADO ? (2)






     Conheci pessoalmente o poeta gaúcho Luiz de Miranda (Uruguaiana, RS) em novembro de 2008, quando viajei a Porto Alegre para participar da 54a. FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE, ano em que o Estado de Pernambuco foi especialmente homenageado. Viajei em companhia do artista plástico e visual Paulo Bruscky, responsável pela bela visibilidade do estande de Pernambuco, diretamente coordenado pela Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, que eu e Paulo representávamos, e pela FUNDARPE - Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco, representado por duas eficientes funcionárias (desculpem a minha memória, não lembro agora, infelizmente, os seus nomes...)

     As duas semanas em que estive em Porto Alegre, participando da mais importante Feira de Livros do Brasil, foram compartilhadas com o companheirismo e a solidariedade do poeta Luiz de Miranda, amigo de primeira hora, que me fez íntimo da sua cidade, conhecendo e visitando seus amigos, bares, restaurantes, ruas e praças do centro da cidade. E tem mais : me presenteou logo dois belos livros de sua autoria, publicou um pequeno poema do meu livro CORAÇÃO PORTÁTIL na coluna de um jornalista de um grande jornal local (ZERO HORA), e me dedicou de repente um poema - Soneto Improvisado para Juareiz Correya -, já publicado neste blog (21/dezembro/2008).  Ele era um poeta importante da literatura gaúcha contemporânea, com uma obra bem publicada e reverenciada nacionalmente, e me dava  importância como se eu fosse igual a ele, com elogios abertos em um generoso poema... Meu amigo era maior do que a sua cidade.  

     Em nossas conversas, lembramos naturalmente as nossas duas cidades capitais - Recife e Porto Alegre - e juntos pensamos na organização da antologia POESIA VIVA DE PORTO ALEGRE, que deve integrar a Coleção Poesia da Cidade, da Panamerica Nordestal Editora.  Autor de um belíssimo poema-livro - PORTO ALEGRE, ROTEIRO DA PAIXÃO -, publicado pela Prefeitura de Porto Alegre, em 1985, que lhe deu prêmios internacionais, e de uma extensa obra poética (são mais de 20 títulos publicados desde o ano da sua estreia, em 1973), Luiz de Miranda, nascido em Uruguaiana, no ano de 1945, vive em Porto Alegre a sua apaixonada poesia mítica dos pampas e dos espaços e  campos urbanos.  Já indicado, em algumas ocasiões, para ser o destacado patrono da Feira do Livro de Porto Alegre, ainda não mereceu dos seus organizadores a recompensada escolha.  No ano em que o conheci ainda sonhava com esse "prêmio", que releva, a cada ano, para a vida cultural da cidade, um digno patrono.

     O poeta Luiz de Miranda, conhecido e louvado nas rodas intelectuais do Brasil como autor da mais extensa obra poética publicada em língua portuguesa, merece ser honrado com essa "premiação" da sua cidade.  Neste ano de 2013 figurou na lista dos concorrentes ao Nobel de Literatura.  Poderá ser premiado em 2014 ou em 2015 (tem obra e grandeza para isso).  E a Feira do Livro de Porto Alegre vai continuar com esse mesquinho comportamento provinciano diante do maior poeta vivo do Rio Grande do Sul ?  (Texto de Juareiz Correya)  

terça-feira, 12 de novembro de 2013

DRAMA DE UM POETA : ESTADO DE POBREZA OU POBREZA DO ESTADO (1)






     Pessoalmente, já se foram 5 anos, e, pela Internet, há alguns meses sem contato com o poeta, me lembrei, agora, no período da realização da FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE (outubro/novembro 2013), que era uma boa hora para consultar o Google.  Ele seria, neste ano, o patrono da Feira, como sonhava ? Não. E encontrei mesmo outras notícias que me fizeram lembrar melhor, com uma incontrolável indignação, o importante poeta gaúcho Luiz de Miranda :

     CORREIO DO POVO / Blog de Juremir Machado da Silva (em 18/01/2013)
      -http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/ 

     LUIZ DE MIRANDA PARA NOBEL DE LITERATURA 

     ("Luiz de Miranda é candidato ao Prêmio Nobel de Literatura. Foi indicado pela PUCRS.  Ferreira Gullar e Ariano Suassuna também são indicados, parece, pelo Pen Clube do Brasil..." ) 



     BLOG DE TAÍS LUSO (em 09/07/2013)
     -http://taisluso.blogspot.com.br 

     CUIDEM DO POETA LUIZ DE MIRANDA 

    A poetisa e cronista gaúcha transcreve esta
    CARTA DE LUIZ DE MIRANDA A PAULO SANT'ANA :

     "Querido Paulo Sant'ana. Estou vivendo em completa miséria. Vivo há vários anos fazendo uma refeição por dia. Escolhi jantar. Não tenho nenhuma fonte de renda, pois poesia não dá dinheiro. Agora sou candidato ao Nobel de Literatura 2013, o primeiro gaúcho num Nobel. Estou sofrendo há algum tempo uma ação de despejo, a qualquer momento posso ser colocado na rua. 

     O prefeito Fortunati ficou de me dar uma pensão mensal, mas se passaram mais de dois anos e nada aconteceu.  O governo do Estado nada fez. Tenho problema de saúde : diabetes, pressão alta, insônia crônica.  A cada mês tenho que arrumar dinheiro com meus amigos. Devo ser o único candidato a Nobel que não tem onde comer e morar.  Mando-te o abraço amigo do sul do mundo.

     (ass.) Luiz de Miranda."     



     JORNAL  ZERO HORA / Segundo Caderno (em 23/07/2013)
     -http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/cultura-e-lazer/segundo-caderno/

     ESCRITOR LUIZ DE MIRANDA É DESPEJADO 
     E PASSA A VIVER EM HOTEL DE PORTO ALEGRE 

     ("Poeta vivia em condições precárias em um apartamento no Bairro Partenon") 



     JORNAL ZERO HORA / Segundo Caderno (em 20/08/2013)
     -http://zerohora.clicrbs.com.br/

     POETA LUIZ DE MIRANDA É CONTRATADO 
     PELA SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO 

     (A pedido do governador Tarso Genro, o poeta é admitido como funcionário da Diretoria de Cidadania e Diversidade Cultural com a missão de realizar palestras sobre poesia em colégios de Porto Alegre e depois do Interior do Estado) 


 _____________________________
  Texto de JUAREIZ CORREYA 







segunda-feira, 11 de novembro de 2013

VIDEOCONFERÊNCIA REDE NORDESTE DO LIVRO, DA LEITURA E DA LITERATURA





     A representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura (RRNE/MinC), o Fórum de Literatura, Livro e Leitura do Ceará (FLLLEC) e a Rede Nordeste do Livro, da Leitura e da Literatura (RNELLL) convidam escritores, livreiros, editores, gráficos, capistas, tradutores, bibliotecários, mediadores de leitura,
ilustradores, gestores municipais e estaduais e demais interessados para videoconferência a ser realizada nesta quarta-feira, dia 13/11/2013, das 14 às 17 horas, e que terá estas pautas  :

   
     - Prestação de contas dos Representantes titulares do Nordeste 
        no Colegiado do Livro, Leitura e Literatura,     
        e do Conselho Nacional de Cultura

     - Impressões sobre Frankfurt  

     - III Conferência Nacional de Cultura  


     IMPORTANTE :
     Em função da capacidade das salas do BNB, solicitamos que as inscrições sejam realizadas pelos e-mails livreiros-e-editores-do-nordeste@googlegroups.com (Rede NELLL) ou roberto.minc@gmail.com, preferencialmente até o dia 11/11/2013, às 17 horas, informando nome, RG e a cidade de onde participará.  A inscrição é importante para o participante ter acesso às salas do BNB em todas as capitais do Nordeste e em Brasília.  

(Comunicação de Roberto Azoubel / Rede Nordeste LLL) 




mails 

sábado, 2 de novembro de 2013

SESC SANTA RITA "MOSTRA ASCENSO MINHA LÍNGUA", NOSSA LÍNGUA BRASILEIRA !





     Escrever, reescrever, ler, reler, publicar, republicar, dizer, cantar, declamar, rezar, dançar, interpretar, reinterpretar, teatralizar, desenhar, pintar, fotografar, cinegrafar, videografar, lembrar, louvar, festejar o poeta Ascenso Ferreira tem enriquecido a cultura nordestina contemporânea, das duas últimas décadas do século 20 até esta segunda década do século que vivemos.  Poeta do seu tempo, o modernista pernambucano evocou e eternizou um "Brasil intocável", como bem ressaltava o escritor paulista Sérgio Milliet, e a palavra autêntica de Ascenso traduziu, com o seu jeito crítico de ser nordestino, as transformações da vida brasileira, notadamente nesta região, na primeira metade do século passado.  

     O compromisso do SESC - Serviço Social do Comércio -, em Pernambuco, com a grandeza do nome e da obra de Ascenso Ferreira, desde a criação pioneira, em 2008, do Laboratório de Autoria Literária Ascenso Ferreira, do Sesc Santa Rita (São José, Recife), tem sido mais significativo e relevante do que o das secretarias de educação e de cultura e de centros e fundações culturais da sua cidade natal - Palmares -, da sua segunda pátria - Recife -, e do Estado de Pernambuco, universo natural da sua nordestina poesia. Mais do que uma homenagem institucional exemplar, que releva, no dia-a-dia da capital pernambucana a obra e  a vida de um dos maiores poetas de Pernambuco em toda a sua história, o Laboratório se mantém como um centro vivo dinamizador de conhecimentos e experiências criativas literárias e artísticas contemporâneas.  O que é bem do espírito do seu patrono.    

     Neste ano de 2013, sob a curadoria de Cida Pedrosa e Sennor Ramos, competentemente apoiados pelo trabalho de supervisão cultural de Rita Marize Farias e de Emanuella de Jesus, o Laboratório de Autoria Literária Ascenso Ferreira desenvolveu, para além do Recife, com a participação de outras unidades do SESC, uma multifacetada programação anual de cultura que chega à sua fase de conclusão por onde devia ter começado - como um recomeço que nos convida para uma nova e permanente realização nos anos que virão : a MOSTRA ASCENSO MINHA LÍNGUA (um declarado e exclusivo elogio à Nossa Língua Brasileira !)

     E, como vem acontecendo quando o poeta é lido e ouvido, na MOSTRA ASCENSO MINHA LÍNGUA várias linguagens artísticas se uniram, pela magia do catimbó da poesia de Ascenso Ferreira, no Sesc Santa Rita, Mercado de São José, Estações do Metrô do Recife, Ruas e Becos do Recife Antigo, Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães e Bibliotecas do Recife.  "Feiticeiramente...", como ele poderia dizer no seu poema História Pátria, novos poetas pernambucanos (Ivan Marinho Filho, Luna Vitrolira, Mariane Bigio, André Monteiro, Márcia Maracajá, Diogo Testa, Clécio Rimas, Allan Sales, Hilda Torres) lhe dedicaram versos e interpretaram seus poemas, recitando e realizando performances intuitivas, seguidos de novos nomes (Adriano Cabral, Bang Flava, Maria Agrelli, Silvana Menezes, Trupe Ensaia Aqui e Acolá) da cena teatral do nosso Estado; artistas plásticos e visuais (Clarissa Dutra, Sérgio Santos, Augusto Barros Filho e Anderson Oliveira) se identificaram e multiplicaram e integraram, com impressões particulares, mais traços cores imagens à poética inspirada e inspiradora de Ascenso Ferreira; e não poderia faltar a equilibrada presença de pesquisadores e estudiosos locais (que são importantes e sabem reconhecer a importância do poeta, a exemplo de Pedro Américo de Farias e Lourival Holanda); até mesmo uma nova culinária pernambucana - para lembrança feliz dos atos de bem comer e beber de Ascenso -, com o dedicado profissionalismo de Beth da Matta, passou a compor o conjunto de interpretações e vivências emocionadas que os versos de Ascenso Ferreira despertam e sensibilizam motivando encantamento e criatividade. (Texto de JUAREIZ CORREYA) 


terça-feira, 24 de setembro de 2013

LETRAS&LEITURAS : nosso blog já supera 20 mil visualizações






     Criado em 2008, com 50 postagens durante todo o ano, este blog (http://letras-leituras.blogspot.com.br)  literário e jornalístico está superando, nestes 5 anos de atividade, com 440 postagens, a marca redonda de 20 mil visualizações de internautas visitantes. Não é muito, um número alto estratosférico ou milionário, mas delimita um bom tempo de atividade, uma considerável apreciação pública e, queiram ou não, nós queremos comemorar. Este registro é a nossa festa.

     LETRAS&LEITURAS, todos podem ver/ler, é um blog simples, sem apelos ilustrativos e fotográficos, fiel à palavra e aos textos literários e jornalísticos que divulgamos, à criação e produção de autores brasileiros e notadamente nordestinos. Um espaço para a divulgação aberta de textos publicados de livros e de alguns inéditos.  LETRAS&LEITURAS completa essa divulgação com a listagem de outros blogs que assino e podem interessar aos internautas em geral : Poesia Viva da Cidade, Panamerica Livraria, Jornal-JC, Casa da Poesia, Poemas do Novo Século, Americanto Amar América, Blogs Literários do Nordeste, Letras da Mata Sul e o jornal do Twitter The Juareiz Correya Daily.  Sim : neste blog o internauta pode também acessar nosso canal no YouTube e uma dinâmica barra de vídeos (Tecnologia YouTube). - Texto de Juareiz Correya  

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

AMIGO JUAREIZ, POETA AMERICANO DO SUL, poema de Luciano Nunes






Amigo Juareiz, poeta americano 
Do sul da tempestade sideral  
Irmão meu também no oráculo zodiacal 
Virginiano demasiadamente humano.  

Hoje, 19 de setembro de 2013 
Envio por email  pra você estes versinhos  
A moda de Quintana e do Moraes, tão singelinhos  
Com votos que esta data se repita 10 mil vezes  

Saúde, paz, dinheiro, sinceras amizades  
O trago de um bom vinho, o amor de uma mulher  
Que a vida te dê força pra viver o que vier 
Na vibe do futuro, do presente e da saudade.  

Os anos passam. A vida segue crua. 
O tempo imperativo alerta : ainda estamos vivos ! 
Feliz Americanto ! A luta continua ! 
Porque "todo poeta é um subversivo".   




LUCIANO NUNES  
- poetaluciano.nunes@gmail.com

(João Pessoa, PB, 19 de setembro de 2013)

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

UM FIM DOS LIVROS, texto de Seth Godin (3)





     "Sim, estamos entrando em uma nova era dourada para os livros,  uma era com mais livros e e-books escritos e lidos do que em qualquer momento do passado. Não, os livros não serão completamente eliminados, assim como os discos de vinis ainda existem por aí (uma nova loja de vinis está abrindo na minha cidadezinha).  Mas, por favor, não aposte que algum elemento deste querido ecossistema vai voltar com força.

     É uma traição à minha tribo escrever tudo isso ?  Veja bem, não estou falando que deveríamos nos livrar do ecossistema inteiro, mas estou querendo encorajar as pessoas para que não passem muito tempo tentando salvá-lo.  Primeiro, é uma batalha perdida e, o mais importante, temos oportunidades maiores à frente.

     Há vinte anos, vi a web e a ignorei.  Disse que era uma imitação barata do serviço online Prodigy, mais lenta e sem um modelo de negócios. Em parte, não consegui entender o que vi.  Mas, de forma geral, o que eu queria era que o Prodigy (meu cliente) tivesse sucesso, juntamente com um modelo de negócios que eu compreendia.  Como resultado da minha arrogância, perdi a oportunidade de aproveitar um novo meio.

     Tenho medo que nossas conexões culturais e corporativas aos livros como sistema de entrega possam nos cegar em relação às alternativas.  

     Não me sinto tão amargurado assim, já que estamos trocando nossos livros por algumas fabulosas alternativas que estão misturadas com coisas que são perda de tempo.  Mas sim, depois de quinhentos anos, depois de participar da construção não de uma, mas de várias indústrias ao redor da criação, publicação, distribuição e armazenamento de livros, eu me sinto um pouco nostálgico.

     Chamei este texto de "UM FIM" ao contrário de "O FIM".  Como sempre, vamos nos reinventar.  Ainda precisamos de ideias e ideias precisam de recipientes.  Desenvolveremos muitas formas para que estas ideias se espalhem e tenham impacto, e agora depende de nós descobrir como construir um ecossistema ao redor delas."   (Tradução de MARCELO BARBÃO)


Transcrito do site PUBLISHNEWS (http://www.publishnews.com.br) 


_________________________________________________
SETH GODIN -  É especialista em marketing e autor 
dos livros QUEBRE AS REGRAS E REINVENTE, 
VOCÊ É INDISPENSÁVEL?, O MELHOR DO MUNDO, 
entre outros. Texto originalmente publicado no blog  
http://sethgodin.typepad.com 




     

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

UM FIM DOS LIVROS, texto de Seth Godin (2)





     "Ler por prazer é uma atividade basicamente extinta depois de quatro gerações de filosofias de ensino não muito boas. Ao tratar um livro como lição de casa e como punição, criamos pessoas que não gostam de ler. Mais de uma vez ouvi de amigos : "Você vai ficar contente de saber disso, até terminei de ler seu livro." Aposto que ninguém fala isso para o Laurence Fishburne sobre seu novo filme.  Não há um problema de pirataria de e-books porque a maioria das pessoas não acha que vale a pena roubar livros.

     A adorada prateleira (ou parede) de livros é menos aprovada e respeitada do que antes.  É bem menos provável que julguemos alguém pela posse e conhecimento de livros hoje do que em qualquer momento dos últimos quinhentos anos.  No passado, esta prateleira criou justaposições, possibilidades e provocações quando você precisava.  Há dez gerações, só os ricos e os educados tinham livros.  Hoje, eles estão de graça em mesas de reciclagem.

     A resposta pavloviana vai desaparecer.  Você vai a uma livraria, uma estufa quieta, civilizada e respeitada de ideias.  Uma pessoa o conecta, usando as mãos, com um livro, embrulha, cobra uma quantia surpreendentemente baixa de dinheiro e você vai para casa, pronto para se enroscar por cinco, seis ou trinta horas, para se submergir em um novo mundo ou em um novo conjunto de ideias.  E depois vai pegar aquele volume, que foi criado para durar um século sem nenhuma tecnologia, vai emprestá-lo a um amigo ou colocá-lo no lugar certo na sua estante.  Seu cérebro foi programado para estar aberto a estas ideias, a mostrar respeito pelo volume em si por causa de todos os elementos do ecossistema, do autor que demorou um ano para escrever ao editor que cuidou do livro, do diagramador ao gráfico e ao livreiro... E todos eles se alinharam perfeitamente para criar esse método de consumo.

     Nenhuma dessas mudanças, sozinha, é suficiente para destruir o respeitável formato de distribuição de informações e o marco cultural que é o livro.  Mas e todas elas juntas ?  Estou escrevendo este texto em um trem cheio de pessoas estudadas, de classe média alta, de todos os gêneros e etnias (ou seja, compradores de livros até recentemente).  Consigo ver umas 40 pessoas e 34 delas estão usando aparelhos eletrônicos, duas estão dormindo e apenas uma está lendo um livro tradicional."   (Tradução de MARCELO BARBÃO)

Transcrito do site PUBLISHNEWS - http://www.publishnews.com.br 


_______________________________________
SETH GODIN -  É especialista em marketing
e autor dos livros QUEBRE AS REGRAS E 
REINVENTE, VOCÊ É INDISPENSÁVEL ?
e O MELHOR DO MUNDO, entre outros. 
Texto originalmente publicado no blog 
- http://sethgodin.typepead.com 


segunda-feira, 26 de agosto de 2013

UM FIM DOS LIVROS, texto de Seth Godin





     "Livros, aqueles documentos de papel amarrados, fazem parte de um ecossistema, um ecossistema que era perfeito, e que está morrendo. E está morrendo rápido. Ideias e palavras não vão desaparecer no futuro próximo. Mas, com a morte do ecossistema, não só os ecossistemas corporativos ao redor do livro de papel vão desaparecer, mas também muitos dos elementos mais apreciados do consumo de livros.

     A LIVRARIA, como conhecemos, está condenada porque muitos desses estabelecimentos vão passar da condição de ganhar um pouco dinheiro dia, para a de perder um pouco diariamente.  E é difícil sustentar perdas diárias por muito tempo, especialmente quando não se está bem capitalizado, quando não é possível usar estratégias de loss leader na loja e quando não se vê uma luz no fim do túnel.

     A morte da livraria é consequência da migração para e-books (não é necessário que todos os livros passem para o formato eletrônico; só o suficiente para favorecer as mudanças) e também do fato de que a compra e a seleção de livros on-line é uma alternativa superior.  Se a função de uma livraria é realmente oferecer todos os livros e vendê-los de forma rápida e barata, então a livraria fracassou.

     A BIBLIOTECA está mal das pernas, em parte porque muitas bibliotecas sucumbiram e viraram uma alternativa gratuita à Netflix ou à falida Blockbuster. Com cada vez menos pessoas mergulhando no mar dos livros impressos, as bibliotecas não terão escolha a não ser parar de encher este mar com itens caros  usados por poucos.  

     A EDITORA TRADICIONAL está culturalmente conectada às livrarias.  São elas as clientes das editoras, não você, leitor (você já tentou ligar para um serviço de atendimento ao consumidor de uma editora ?)  Com o desaparecimento da livraria, e como a natureza aberta das plataformas de e-books recompensa indivíduos e entidades menores com grande mobilidade, muita gente nas editoras tradicionais vai perceber que suas habilidades particulares não são mais valorizadas do jeito como costumavam ser.

     TAREFA ÚNICA é um anacronismo.  Assim que os e-books passaram do Kindle para o iPad, a mágica de ler foi ameaçada pela oportunidade ("só um minutinho") para dar uma olhada no e-mail, jogar "Words with Friends" ou ver uma mensagem de texto que entrou."  (Tradução de MARCELO BARBÃO)

(Transcrito do site PUBLISHNEWS - http://www.publishnews.com.br)



__________________________________________________
SETH GODIN  - É especialista em marketing e autor 
dos livros QUEBRE AS REGRAS E REINVENTE, 
VOCÊ É INDISPENSÁVEL ? e O MELHOR DO MUNDO, 
entre outros. Texto originalmente publicado no blog 
http://sethgodin.typepad.com 







sexta-feira, 16 de agosto de 2013

O JORNALISMO NA ERA DAS REDES SOCIAIS, texto de Cleyton Carlos (2)




...................................................................

O DIGITAL É CULTURA 


     O jornalista e as empresas jornalísticas que teimarem em tratar as redes sociais como meros canais expositivos e não participativos devem sofrer e, principalmente, perder peso no cenário jornalístico. A mesquinharia com que alguns profissionais da imprensa ainda tratam os blogs ou a lentidão que veículos de comunicação têm em entender algo nativo do ambiente digital só reforça a teoria que muita coisa precisa ser reformulada em todo esse contexto.

     Mais uma vez a máxima de que o digital é mais do que estratégia ou ferramenta, é cultura.  Se o veículo ou o jornalista não estão preparados para absorverem todas as possibilidades e exigências que o universo digital propõe, é hora de colocar as cartas na mesa e discutir, mais uma vez, qual é o papel do jornalismo nesse ambiente.  As pessoas ainda procuram por filtros e curadores de conteúdo e classificam os jornalistas e os jornais como fontes confiáveis.  Agora só falta o jornalismo e os jornalistas fazerem o mesmo." (Por Cleyton Carlos - Blog Mídia 8




______________________________________
Transcrito do Blog CURSO DE ECOMMERCE
-http://www.cursodeecommerce.com.br/blog) 


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

O JORNALISMO NA ERA DAS REDES SOCIAIS, texto de Cleyton Carlos





     "Qual o tipo de conversação que o jornalismo procura ter ou tem tido nas redes sociais ?  Já comentei em outras ocasiões que o jornalismo não sabe utilizar o Twitter e que blogs e jornalismo são canais complementares, não conflitantes.  Mas, em um cenário macro, como anda o jornalismo em uma era tomada por redes digitais conectadas que dão voz e vez a centenas de milhões de possíveis contribuintes e coladoradores ?

     O jornalismo não deve estar nas redes sociais, mas sim fazer parte de todo um contexto mais complexo e estruturado.  O jornalismo deve ser ser, em redes sociais, estruturado em um formato que não fique aquém do mínimo esperado pelos usuários e consumidores de informação. Prova disso é a lentidão que a imprensa possui em relatar fatos que nasceram dentro do ambiente digital. Reportar algo dias depois não faz o menor sentido e, pior, só reposiciona a afirmação de que o jornalismo está perdendo o bonde da era digital.



O PRIMEIRO PASSO 
PARA USAR REDES SOCIAIS
É SER SOCIÁVEL 


     Não é novidade para ninguém que qualquer um pode ser um - bom - produtor de conteúdo nas redes sociais. Também não é novidade alguma a rapidez e instantaneidade com que a internet trabalha.  Quer usar redes sociais ? Então seja sociável nas redes.  Não há espaço para um jornalismo tardio e que ainda procura se posicionar diferentemente dos usuários que lá estão.  Sim, sem conversa o jornalismo - e os jornalistas - será engolido pela camada social digital que aflora e se solidifica cada dia mais.

     É inadmissível um jornalismo que se propõe a fazer parte das redes sociais e pede colaboração dos usuários, mas quando um fato ocorre no universo digital  sempre é o último a saber ou, pior, ainda tem a velha postura de chamar os leitores de "repórteres cidadãos", mas no momento da publicação classifica todos como "cinegrafistas amadores" ou "usuários afirmam", sem dar a devida credibilidade e o respeito merecidos."    (Por CLEYTON CARLOS no Blog Mídia 8).




_________________________________________
Transcrito do Blog do CURSO DE ECOMMERCE
(http://www.cursodeecommerce.com.br/blog) 

terça-feira, 6 de agosto de 2013

AVISO AOS NAVEGANTES : "AS NECESSIDADES DE WILLIAM FAULKNER"






     "Portanto, o único ambiente de que o artista necessita é qualquer paz, qualquer solidão, e qualquer prazer que ele consiga obter a um preço não muito alto. Tudo o que um ambiente errado fará é aumentar sua pressão sanguínea; ele passará mais tempo sentindo-se frustrado ou ultrajado. Segundo minha própria experiência, as ferramentas de que preciso para o meu negócio são papel, fumo, comida e um pouco de uísque." 

 (Entrevista do escritor norte-americano William Faulkner
  em "AS ENTREVISTAS DE PARIS REVIEW")




____________________________________
Transcrito de VANJA CAMPOS 
 (http://www.facebook.com/vanja.campos.5) 

terça-feira, 30 de julho de 2013

JULHO, MÊS DE HERMILO BORBA FILHO





     Neste ano de 2013, as realizações da SEMANA HERMILIANA (Palmares, 8 a 14 de julho), promovida pela Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho / Prefeitura dos Palmares (PE), da SEMANA HERMILO 2013 (Recife, 22 a 28 de julho), promovida pelo Centro Apolo-Hermilo / Fundação Casa da Cultura / Secretaria de Cultura / Prefeitura da Cidade do Recife, e do FESTIVAL CULTURAL HERMILO BORBA FILHO (Palmares, 25 de julho a 04 de agosto), promoção da Secretaria de Educação / Prefeitura dos Palmares / Tenda da Cidadania / Instituto Brasileiro Pró-Cidadania / Nova Arte Produções, evidenciam que no mês de julho, em Pernambuco, É TEMPO DE HERMILO !   Distintas e em perfeita sintonia, essas realizações culturais promovem o conhecimento e o reconhecimento da importância da vida e da obra do escritor palmarense Hermilo Borba Filho no universo cultural da sua cidade natal e da capital do Estado.  Familiares, amigos, conhecidos, estudiosos, admiradores, todos os pernambucanos que foram "tocados" pelo poder da criação de Hermilo - no teatro, na literatura, na arte erudita e popular, no jornalismo, na educação e nas atividades culturais que comprometiam a sua vida -, têm, nesse tempo de maior e melhor convivência com o seu legado, nessa "celebração cultural", como ressalta o diretor e administrador teatral Carlos Carvalho, do Centro Apolo-Hermilo, a alegria de um reencontro revitalizador e animador : a presença viva de um homem profundamente dedicado à cultura da sua terra.    

     As "Semanas" de Hermilo realizadas em Palmares e no Recife desde 2002 - embora tenham sofrido uma inexplicável interrupção por causa da insensibilidade de alguns administradores, lá e cá - transformam, agora, a partir deste ano de 2013, o mês de julho do seu aniversário - em um significativo e novo TEMPO DE HERMILO.  Com a passagem de mais alguns anos chegaremos no tempo do Centenário de Hermilo.  Que os novos anos possam ampliar o campo de ação dessas realizações e encantar/sensibilizar também outras cidades pernambucanas e outros Estados nordestinos por onde a vida e a obra de Hermilo deixaram também a sua marca. (JUAREIZ CORREYA) 


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Panamerica prepara o lançamento de ebooks de Hermilo Borba Filho, Natanael Lima Jr., Frederico Spencer e Juareiz Correya





     O selo editorial Ebooks Panamerica, da Panamerica Nordestal Editora (Recife, PE) lançará, nos próximos dias, os seus primeiros títulos -  três ebooks de poesia e um de crônicas destes autores pernambucanos :

     HERMILO BORBA FILHO ("Palmares e o coração", crônicas, primeira edição impressa produzida em 1997), NATANAEL LIMA JUNIOR ("À Espera do Último Girassol", poesia, primeira edição impressa em 2011), FREDERICO SPENCER ( "Abril Sitiado", poesia, primeira edição impressa em 2011) e JUAREIZ CORREYA ( "Americanto Amar América - Poema em 3 Dimensões",  com tradução espanhola do poeta mexicano Alberto Vivar Flores e ilustrações /quadrinhos do artista plástico pernambucano Roberto Portella). Os ebooks pernambucanos poderão ser acessados na Panamerica Livraria, loja virtual da editora responsável pela edição eletrônica desses livros.


segunda-feira, 15 de julho de 2013

A PALAVRA DE HERMILO BORBA FILHO (3)






Não quero ser responsável pela morte de um só homem 

"Sou um homem do meu tempo, com as dores e as alegrias da minha época. Sou um romancista comprometido com o homem, com o bem e o mal, com as misérias do homem.  Prefiro não criar, nesta fantástica época em que vivemos, um universo mítico. Por omissão, os nazistas mataram cerca de 6 milhões de judeus.  Eu não quero ser responsável pela morte de um só homem. Por isto minha literatura grita, grita à sua maneira, mas grita."  (Revista ELE ELA, São Paulo, SP, 1974) 


Escritor maldito e censurado  

"Justamente porque a liberdade e a dignidade do homem estão em crise é que disponho da única arma que tenho - minha ficção - para combater a intolerância sob qualquer aspecto em que se apresente.  Quanto mais sufoquem a liberdade e a dignidade mais devemos gritar por elas.  Não é em vão que se proíbe um romance meu, digamos, na Argentina. E que meus livros, de modo geral, não sejam tolerados na Biblioteca oficial de não sei de onde..." (Entrevista para a Revista VEJA, São Paulo, SP, no final de 1975. Censurada em várias partes, Hermilo não permitiu que a revista divulgasse a sua entrevista com os cortes da Censura.  Texto divulgado, na íntegra, no livro A PALAVRA DE HERMILO, Cepe, Recife, PE, 2007) 


Amadorismo X Profissionalismo 

"Não se pode ficar na infância o tempo todo e o amadorismo é uma infância, quando não, em muitos casos, uma atrofia e até mesmo uma arapuca. Explora-se muito o amadorismo por este país afora. Eu, pessoalmente, não acredito em nenhuma arte amadora, principalmente o teatro a que se deve dedicar todos os instantes da  vida"  (Jornal MOVIMENTO, São Paulo, SP, 1976) 


Como surgiu o Teatro Popular do Nordeste  

"Reunimos oito pessoas : Ariano Suassuna, José Carlos Cavalcanti Borges, Gastão de Holanda, José de Morais Pinho, quase todos do antigo Teatro do Estudante, Aldomar Conrado e Leda Alves, estes dois então alunos do curso de teatro, Capiba e eu.  Fundamos o TPN que, nessa primeira fase, tinha os mesmos propósitos do Teatro do Estudante.  Quer dizer : autores clássicos e nordestinos."  (Gravação do SNT - Serviço Nacional do Teatro, Recife, 1970 / SUPLEMENTO CULTURAL, Diário Oficial de Pernambuco, Recife, PE, 1996) 


___________________________________________
Trechos de entrevistas concedidas pelo escritor  
Hermilo Borba Filho e reunidas no livro 
A PALAVRA DE HERMILO, organizaçao de  
Juareiz Correya e Leda Alves, com prefácio 
de Ricardo Noblat. 
(Companhia Editora de Pernambuco - CEPE / 
Secretaria da Casa Civil / Governo de Pernambuco, 
Recife, PE, 2007) 

sábado, 13 de julho de 2013

A PALAVRA DE HERMILO BORBA FILHO (2)





Pesquisa sobre música nordestina 

"Bom, nesses quatro elepês podem ser encontrados vários ritmos da nossa região : frevo em todas as suas modalidades, violeiros, cirandas, bumba-meu-boi,samba de roda, bambelô, emboladas e terno de pífanos.  Várias dessas músicas foram tratadas pelo Quinteto Violado e outras diretamente gravadas." (JORNAL DO COMMERCIO, Recife, PE, 1973) 


Vivo em permanente estado de comoção

"Nunca vivi tranquilamente, encarando isto do ponto de vista burguês. Sempre vivi em permanente tensão emocional.  (...)  Minha mulher sabe disto: ardo com o que escrevo e ardo com a situação do meu País. Em qualquer situação escrevi bem; não muito, mas de boa qualidade. (...) Vivo em permanente estado de comoção.  (A GAZETA, São Paulo, SP, 1973) 


Contos : uma nova linguagem 

"É um livro (O GENERAL ESTÁ PINTANDO) composto de várias novelas, com tudo acontecendo em Palmares.  É uma tentativa de uma nova linguagem, para dar corpo a essa coisa que é constante no Nordeste e com quem a gente vive diariamente que é o mágico.  Em Palmares, as pessoas voam, morrem, ressuscitam, transformam-se em bichos, e por aí vai..."  (JORNAL DA SEMANA, Olinda, PE, 1974) 


Toda obra de ficção é autobiográfica 

"Toda obra de ficção é, num sentido essencial, autobiográfica. Ninguém arranca nada do nada. Ou você inventa partindo de uma realidade-real (a definição, excelente, é de Vargas Llosa), ou de uma realidade-imaginada. Quer dizer, ou você viveu ou viu viver a situação, ou você a extrai de sua imaginação. De qualquer modo, a obra é um resultado do seu eu, do seu mundo exterior ou do seu mundo íntimo."  (Revista ELE ELA, São Paulo, SP, 1974) 


____________________________________________________________
Trechos de entrevistas concedidas pelo escritor Hermilo Borba Filho
e reunidas no livro A PALAVRA DE HERMILO, organização de 
Juareiz Correya e Leda Alves, com prefácio de Ricardo Noblat.  
(Companhia Editora de Pernambuco - CEPE / Secretaria da Casa Civil / 
Governo de Pernambuco, Recife, PE, 2007.  

sexta-feira, 12 de julho de 2013


A PALAVRA DE HERMILO BORBA FILHO







O Recife e o teatro profissional 

"Seguindo o exemplo dos grandes centros teatrais como Rio e São Paulo, o Recife dá um grande passo à frente na formação de uma mentalidade teatral no sentido profissional."   (DIARIO DA NOITE, Recife, PE, 1958) 


TPN e a valorização do autor brasileiro 

"O Teatro Popular do Nordeste mantém os mesmos princípios, em bases profissionais, que nos orientaram na campanha dos idos de 40, isto é, a valorização do autor brasileiro, pois, sem autor nacional, principalmente os do Nordeste como marca de uma região que é a mais trágica e a mais poética do Brasil, o nosso teatro não existirá." (DIARIO DA NOITE, Recife, PE, 1960) 


Nosso teatro já atingiu a sua maioridade 

"Um teatro que tem um Ariano Suassuna, por exemplo, é um teatro que já atingiu a sua maioridade.  A Ariano junte nomes como os do precursor Martins Pena e dos modernos Nelson Rodrigues e Jorge Andrade, para citar apenas os mais significativos.  Uma arte não pode ser avaliada apenas pela quantidade de artistas, mas pela qualidade."  (JORNAL DO COMMERCIO, Recife, PE, 1964) 


O autor de "Sol das Almas" 

"O livro pretende contar a história de um homem religioso que, por várias etapas, termina aniquilando-se pelo caminho do sexo.  Ao lado desse clima que me tentava, havia outro, o do suicídio..." (JORNAL DO COMERCIO, Rio de Janeiro, RJ, 1964) 


Assim fala um escritor maldito 

"Palavrão?  Que é isto?  Só conheço palavras com o seu peso, a sua medida, o seu valor. Não tenho vergonha de palavras e as emprego exatamente para, inclusive, num sentido popular puro, designar as partes
nobres do homem e da mulher, por exemplo.  São estas palavras insubstituíveis, como são na conversa, na raiva, no ato do amor"   (DIARIO DA NOITE, Recife, PE, 1970) 


O escritor e suas confissões 

"Deparei-me com um estranhíssimo quadro de um pintor flamengo surrealista e o título saiu num estalo : MARGEM DAS LEMBRANÇAS.  Deu ao livro um certo caráter memorialista mas, por outro lado, fez com que evocasse todo um passado importante, tormentoso, alucinado.  (...)  Mas, me amparava no fato de que não poupando nem a mim, por que razão iria poupar os outros ?"  (DIARIO DE PERNAMBUCO, Recife, PE, 1972) 


Cada escritor tem a sua marca e as suas raízes 

"É claro que cada escritor tem a sua marca e as suas raízes das quais é inteiramente impossível fugir de vez. (...) Eu não me situo, ou melhor, não situo a minha obra em função de um regionalismo preconcebido."  (JORNAL DO COMMERCIO, Recife, PE, 1972) 


O Henry Miller brasileiro 

"Compararem-me ao Miller foi bom para mim: fez-me perder o medo às palavras. Quem não o tem, esse medo ? Afora isso, a  literatura confessional que eu faço é tão antiga como o mundo.  Encontra-se em Santo Agostinho, em Rousseau, na Anais Nin..."  (DIARIO DE LISBOA, Lisboa, Portugal, 1972) 


___________________________________________________________
Trechos de entrevistas concedidas pelo escritor Hermilo Borba Filho
e reunidas no livro A PALAVRA DE HERMILO, organização de 
Juareiz Correya e Leda Alves, com prefácio de Ricardo Noblat. 
(Companhia Editora de Pernambuco - CEPE / 
Secretaria da Casa Civil / Governo de Pernambuco, Recife, PE, 2007) 


terça-feira, 9 de julho de 2013

HERMILO BORBA FILHO E SEUS ROMANCES






          Com alguns contos publicados esparsamente em jornais e revistas, o ficcionista pernambucano Hermilo Borba Filho só estréia em livro aos 40 anos de idade, com jovial maturidade, iniciando um retrato vivo da sua cidade natal - Palmares -,  que aparece em sua gênese dentro de uma narrativa meio cinematográfica : o romance OS CAMINHOS DA SOLIDÃO, publicado, em 1957, pela José Olympio Editora, do Rio de Janeiro(RJ). Em 1964 a Editora Civilização Brasileira (Rio de Janeiro, RJ) publica o seu segundo romance - SOL DAS ALMAS -, que amplia o retrato da cidade transformada em um painel onde, segundo o próprio Hermilo, em entrevista concedida a Sebastião Uchoa Leite (Jornal do Commercio, Recife, 1964), ele foi "mais além, porque dentro da mesma atmosfera nordestina parti para o campo da moral e do pecado."  Um belo romance, talvez o mais ambicioso do escritor, estruturado com as estações de uma viagem de trem de Palmares ao Recife delimitando cada capítulo. O início da viagem é uma fuga e qual será o real destino da sua chegada ?

          Ao escrever a tetralogia UM CAVALHEIRO DA SEGUNDA DECADÊNCIA - integrada pelos romances "Margem das Lembranças", "A Porteira do Mundo", "O Cavalo da Noite" e "Deus no Pasto" -, publicada entre os anos de 1966 a 1972, pela Editora Civilização Brasileira, o escritor então se afasta desse projeto pictórico do ambiente rural da sua cidade em construção e dos seus interiores humanos.  E mergulha, num processo novo, igualmente comprometido com a sua terra mas inteiramente pessoal, mais dolorido, criando, a partir da sua adolescência, em Palmares, da juventude no Recife, da maturidade em São Paulo e de volta ao Recife e a Palmares, uma obra autobiográfica de primeira grandeza (que a sua modéstia e o seu despojamento denominaram de "segunda decadência"...)  Nessa luxuriosa e corajosa tetralogia de romances, confessaria Hermilo ao jornalista Ricardo Noblat (Revista ELE ELA, São Paulo,SP, 1974) que havia esgotado as suas "andanças sociais, políticas, religiosas, sexuais."  Considerava que a sua catarse estava feita, sua confissão executada, suas penas cumpridas.

          O primeiro romance da tetralogia - "Margem das Lembranças" - foi traduzido na Argentina (Editiones de La Flor, Buenos Aires, 1969) e proibido, por um tempo, como obra pornográfica; julgado nos tribunais "da inquisição" portenha, foi considerado uma obra de arte e consequentemente liberado.  Em 1975 esse romance foi também publicado na França (Editions Stock,Paris).

          AGÁ foi o seu último romance publicado (Editora Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, RJ).  Inventivo, ousado, é um livro diferente de toda a obra romanesca de Hermilo publicada até então,  onde ele explora, com consciente experimentalismo, todas as possibilidades de comunicação da sua prosa.  O escritor explica, em uma entrevista concedida no Recife a José Maria Andrade para a Revista VEJA (e não publicada )  em 1975 :  "Quando lancei mão, em AGÁ, dos quadrinhos, executados por esse excelente pintor que é José Cláudio, o que eu tinha em mente era dar, em texto esquemático, portanto mais direto, e em imagem, portanto mais contundente, a história, no Brasil, da luta pela liberdade e a história paralela da tortura, pelo menos até o século XIX".

          Sobre o seu trabalho como romancista, dizia Hermilo Borba Filho :  "O processo de criação, na cabeça, é lento, mas o processo de escrever é rápido. Escrevo diretamente à máquina e sem rasuras quase. Creio que todo romancista tem, desde que se entende de gente, os romances dentro de si : recordações, experiência de vida, fatos que o atingem, histórias por ouvir dizer, tudo se armazena e, em determinado momento, pode tomar forma."  
                                                                                                         (Texto de Juareiz Correya) 




domingo, 23 de junho de 2013

LUÍS SERGUILHA, POETA PORTUGUÊS, LANÇA NOVO LIVRO EM OLINDA E NO RECIFE





     Autor de vários livros de poesia, publicados em Portugal entre os anos de 2002/2013, o poeta Luís Serguilha está, mais uma vez, em Pernambuco, para promover o lançamento do seu novo livro em Olinda e no Recife.  O seu  livro KALAHARI será lançado, na próxima terça-feira, dia 25 de junho, às 19h30m, na Biblioteca Pública de Olinda (Carmo, Olinda) ; e, quinta-feira, dia 27 de junho, também às 19h30m, no Centro Cultural Correios (Recife Antigo, Recife).

     Luís Serguilha nasceu em Vila Nova de Famalicão, Portugal, no ano de 1966.  Lecionou Educação Física por 12 anos. Atleta em competições esportivas.  É um dos pioneiros das bibliotecas de Jardim".  Sobre a sua poesia, bastante respeitada pela crítica portuguesa e brasileira, escreve Jane Tutikian :

     "Este poeta irreverente, inquieto, criador em toda a amplitude do termo, traz um novo sopro à poesia lusa. É impossível rotular seu fazer poético, engavetá-lo numa ou noutra corrente.  Serguilha é caso isolado no panorama mais geral  da literatura portuguesa do século XXI". 

__________________________________________________________
Mais informações : 

http://www.facebook.com/luisserguilhs.serguilha 

http://antoniomiranda.com.br/iberoamerica/portugal/luis_serguilha.html 


sexta-feira, 14 de junho de 2013

PANAMERICA LIVRARIA : Correspondência de escritores do Brasil, Peru, Argentina e Espanha





JÚLIA LEMOS (Recife, PE)
"Esta é uma editora pra valer e o bom é que é genuinamente nossa.  O site é 10 ! Sucesso, é o que desejo."  (Facebook)


DANIEL LIMA SANTIAGO (Recife, PE)
"Quero publicar um livro aí !"  (Facebook)


MARIA DE LOURDES HORTAS (Recife, PE)
"Parabens a você e à sua equipe por esse trabalho tão contemporâneo e valioso."  (mlourdeshortas@gmail.com)


FRED CAMINHA (Palmares, PE)
"Tá valendo, Juareiz.  Sorte & Sucesso !"  (fredecaminha@gmail.com)


MAGDALENA DE LA FUENTE (Peru)
"Me gustaria editar mis obras. Tengo 22 novelas ineditas y 6 novelas publicadas para realizar segunda edicion.  Me encantaria me edite ebook...
Exitos compartidos,
(LINKEDIN / gaviotadeperu@hotmail.com)


ALEJANDRO D'LA SERNA  (Argentina)
"Hola estimado Juareiz, te saluda cordialmente Alejandro D' La Serna de Córdoba Argentina y te escribo con el fin de hacerte una consulta por este medio. Te cuento mi motivo puntual es consultarte si interesa la evaluación y posterior publicación respecto de mi novela..." 
(LINKEDIN / alejandrodlaserna@gmail.com)


TONI PRAT  (Espanha)
"Gracias por tu amistad Juareiz.  Si alguna vez quisieras publicar un "buen" libro de Poesia Visual ... piensa en mi."
(LINKEDIN / antonipratoriols@josoc.cat / http://www.poemesvisuais.com)










terça-feira, 4 de junho de 2013

Ebook PALMARES E O CORAÇÃO, de Hermilo Borba Filho,será lançado em julho/2013





     No próximo mês de julho,o 96o. aniversário de nascimento do escritor pernambucano Hermilo Borba Filho será lembrado na Internet : a Panamerica Nordestal Editora, do Recife, PE, lançará o ebook PALMARES E O CORAÇÃO (crônicas), de Hermilo Borba Filho, organizado por Juareiz Correya.  Trata-se de um dos primeiros títulos do selo editorial Ebooks Panamerica, da editora pernambucana, que promoverá a publicação na sua loja virtual Panamerica Livraria, a ser inaugurada neste mês de junho.  

     Já lançado em edição impressa, no ano de 1997, o livro póstumo de Hermilo tem agora a sua segunda edição especialmente produzida como livro eletrônico.  É a primeira publicação do autor da consagrada  trilogia de romances "Um Cavalheiro da Segunda Decadência"  produzida para circulação na Internet.

     A Panamerica Nordestal Editora já está em entendimentos com a Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, da Prefeitura dos Palmares (PE), terra natal do escritor, para a co-edição do ebook e sua distribuição como presente especial para leitores/internautas palmarenses.  

     Em julho próximo a própria Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho também aniversaria, festejando os seus 30 anos de criação e de atividades culturais em Palmares e na região Mata Sul de Pernambuco.    



quinta-feira, 16 de maio de 2013

EBOOKS PANAMERICA : MAIS DE 25 LIVROS VIRTUAIS SERÃO LANÇADOS EM PERNAMBUCO




          Autores brasileiros - do Modernismo dos anos 20 do século passado até a nova poesia pernambucana de hoje - serão lançados em ebooks da marca editorial Ebooks Panamerica, da Panamerica Nordestal Editora (http://www.panamerica.net.br), do Recife, PE, neste ano de 2013.

          São ebooks do poeta Ascenso Ferreira, e sobre a sua vida e sua obra, do dramaturgo e ficcionista Hermilo Borba Filho, do poeta e ficcionista Jaci Bezerra, dos poetas José Terra, Juareiz Correya, Maria de Lourdes Hortas, Luiz Alberto Machado, Frederico Spencer, Natanael Lima Jr., Lara de Miranda, Fred Caju, Antonino Oliveira, Robson Sampaio, Cida Pedrosa e Marco Polo Guimarães, todos pernambucanos; e ebooks dos memorialistas Paulo Cavalcanti (PE) e Manoel Onofre Junior (RN), da poetisa e cronista Clotilde Tavares (PB), da poetisa paulista Dalila Teles Veras e do poeta gaúcho Luiz de Miranda.  Também serão lançados ebooks que reverenciam a memória de pernambucanos contemporâneos, a exemplo dos poetas Manuel Bemtevi, Marconi Notaro, Jailson Marroquim, e do jornalista e poeta Luiz Carlos Monteiro.  Dois autores inéditos em livro serão lançados também, neste ano de 2013, pela Ebooks Panamerica : o poeta, compositor e professor universitário Luciano Nunes e a poetisa, professora, blogueira e animadora cultural Márcia Maracajá. 


 

segunda-feira, 13 de maio de 2013

"I PRÊMIO PERNAMBUCO DE LITERATURA" : 40 mil reais em prêmios para 5 escritores do Estado






     O escritor sertanejo Bruno Guimarães Liberal, de Petrolina, com o livro de contos OLHO MORTO AMARELO, conquistou o grande prêmio de 20 mil reais do "I Prêmio Pernambuco de Literatura",  promovido pela Secretaria de Cultura de Pernambuco, FUNDARPE e Companhia Editora de Pernambuco - CEPE.  Os vencedores com premiação regional, no valor de 5 mil reais cada, foram estes escritores : Delmo Montenegro (Recife / Região Metropolitana do Grande Recife), com o livro de poesia RECIFE, NO HAY ; Fernando Monteiro (Recife / Região Metropolitana do Grande Recife), com o romance O LIVRO DE CORINTHA; José Walter Moreira dos Santos (Vitória de Santo Antão / Região da Mata), com o livro de contos O METAL DE QUE SOMOS FEITOS ; e Jeilson José Ferreira da Silva ( Passira / Região Agreste), com o livro de poesia DISCURSOS E ANATOMIAS.  Todos os livros, inéditos, serão publicados pela Companhia Editora de Pernambuco - CEPE. 

     "Ficamos muito satisfeitos com o resultado, que mostra o alto nível da produção literária do Estado em todas as suas regiões", comentou Ricardo Melo, diretor de Produção e Edição da CEPE.  Foram inscritos 192 livros de autores da Região Metropolitana do Grande Recife, Mata, Agreste e Sertão de Pernambuco.

     A Comissão Julgadora ainda indicou "menções honrosas" para livros de 15 escritores do Recife, Capoeiras, Paulista, Olinda, Serra Talhada e Surubim.    



_______________________________
Mais informações :
CEPE Editora 
- http://editora.cepe.com.br

terça-feira, 7 de maio de 2013

ASCENSO FERREIRA : MAIS DE UM SÉCULO DE POESIA DO NORDESTE NA INTERNET






     Com 118 anos de poesia, completados neste mês de maio (nasceu em Palmares, PE, no dia 9 de maio de 1895), o pernambucano Ascenso Ferreira será valorizado na Internet, a partir deste ano de 2013, com o lançamento de ebooks que apresentarão a sua poesia ("Poemas de Ascenso Ferreira", "Outros Poemas & Inéditos"),  a sua biografia ("Ascenso, o Nordeste em Carne e Osso") e a sua nova fortuna crítica ("Ascenso Ferreira : mais tempo de CATIMBÓ").  Os ebooks serão publicados pela Panamerica Nordestal Editora, do Recife, e devem ser distribuídos comercialmente e de forma promocional por meio de ações educacionais de Estados e municípios do Nordeste brasileiro.  "Trata-se da vida e da poesia de um dos maiores poetas desta região e o seu conhecimento é fundamental para o enriquecimento cultural das gerações brasileiras, a qualquer tempo", lembra o poeta e editor Juareiz Correya, diretor editorial da Panamerica Nordestal Editora. 

quinta-feira, 2 de maio de 2013

O BRASIL NA "FEIRA DE FRANKFURT", ALEMANHA : E O NORDESTE DIMINUINDO...







     Dos 70 autores brasileiros selecionados para a FEIRA DO LIVRO DE FRANKFURT, Alemanha, acontecimento cultural mundial do próximo mês de outubro deste ano, apenas 19 autores não são da Região Sudeste do País, informou o site Publishnews (http://www.publishnews.com.br) em 14/março/2013.

     Do Nordeste brasileiro, participarão da comitiva os escritores Ana Miranda e Ronaldo Correia de Brito (Ceará), Antonio Carlos Viana (Sergipe), João Almino (Rio Grande do Norte), João Ubaldo Ribeiro (Bahia), Luiz Costa Lima (Maranhão) e Marcelino Freire (Pernambuco).  O Nordeste, assim, ficou menor e a literatura brasileira, com isso, naturalmente mais pobre.  Estão ausentes três Estados que produzem literatura brasileira de qualidade há algum tempo...  E nomes de escritores vivos foram esquecidos de forma imperdoável : um Ariano Suassuna (PB), um Marcos Farias Costa (AL), um Cineas Santos (PI). 

     Só para citar Pernambuco, que é a nossa praia, não entendemos como não foram selecionados um Raimundo Carrero, um Marcus Accioly, um Gilvan Lemos, uma Maria de Lourdes Hortas, um Luiz Berto... Não dá para entender mesmo.  Na bagagem da viagem só cabem 70 nomes ?  É bom lembrar o velho ditado popular : "Cesteiro que faz um cesto faz um cento" !

     O Brasil tem bagagem para mais de 100 escritores vivos invadindo a Alemanha.

                                                                               (Texto de Juareiz Correya)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

OLIVEIRA LIMA : TESOURO DA HISTÓRIA BRASILEIRA NOS EUA





     "Dentro da principal biblioteca da Universidade Católica da América, em Washington, existe uma outra biblioteca : a  Oliveira Lima.  Independente, como exigiu o diplomata, historiador e jornalista pernambucano Manoel de Oliveira Lima, antes de doar sua extensa coleção, em 1916.  Os mais de 60 mil volumes  - entre livros, manuscritos, panfletos, jornais - formam a maior brasiliana fora do Brasil.  O acervo tem também pinturas, esculturas, fotografias e cartões-postais.  Tudo dentro de uma linha cronológica que vai do descobrimento do Brasil, em 1500, até o fim da Primeira República, em 1930. 

     (...)

     A biblioteca guarda o primeiro livro impresso no Brasil, ilegalmente, em 1747 - a impressão e publicação de obras só foram permitidas pela Coroa portuguesa em 1808, com a criação da Imprensa Régia.  E também o primeiro impresso em Pernambuco, em 1817, que trata da Revolução Pernambucana. último movimento revolucionário antes da Independência do Brasil em 1822.

     (...)


O COLECIONADOR

     Quem foi, afinal, o incansável colecionador que deixou tantas preciosidades, principalmente sobre a trajetória do Brasil e de Portugal, mas também algumas contribuições sobre África e Ásia ? 
     Oliveira Lima nasceu no Recife no dia 25 de dezembro de 1867.  Filho de pai português e mãe pernambucana, passou a maior parte da infância e adolescência em Portugal, mas tinha uma verdadeira admiração pelo Brasil. Tanto que, quando terminou a faculdade de Letras em Lisboa, decidiu fazer carreira no Itamaraty. 
     Como diplomata, viajou o mundo ao lado da mulher Flora.  Morou em Lisboa, Londres, Berlim, Caracas, Tóquio, Bruxelas e Estocolmo.  O interesse pela escrita começou cedo. Aos 14 anos, lançou a revista mensal Correio do Brasil. Foi a largada para os muitos artigos em jornais, como o Diario de Pernambuco, e livros que publicou pela vida afora..."  



(Trechos do texto de Anna Camanducaia, de Nova York  /   
 Transcrito da REVISTA CONTINENTE  
 - Número 148 - Abril 2013 - 
Companhia Editora de Pernambuco - CEPE / 
Secretaria da Casa Civil / Governo de Pernambuco)
_______________________________________________

REVISTA CONTINENTE 
                                                                                    


    



sábado, 20 de abril de 2013

"Panamerica Livraria" : a primeira loja de ebooks do Nordeste !





     Em contrato firmado com o portal de plataformas de lojas virtuais IRROBA (http://www.irroba.com.br), a Panamerica Nordestal Editora (http://www.panamerica.net.br), do Recife, PE, lança, nos próximos dias, a sua panamericalivraria especializada em ebooks.  É a primeira loja de ebooks do Nordeste brasileiro.

     Autores publicados por editoras brasileiras, latino-americanas ou panamericanas, portuguesas e espanholas estarão presentes nas seções de Literatura e Cultura, catalogadas em suas distintas categorias :  Conto, Crônica, Estudos & Pesquisas, Memória, Poesia, Romance, Teatro ; e Arte, Ciência, História, Jornalismo, Tecnologia...  A Panamerica Livraria já iniciou a organização do seu catálogo especial de ebooks com obras de várias editoras brasileiras e uma editora portuguesa (que publica também espanhóis, brasileiros e latino-americanos). 

     Ainda neste ano, a Panamerica Nordestal Editora lançará a marca editorial Ebooks Panamerica, destacando, inicialmente, títulos destes autores pernambucanos e nordestinos :  Ascenso Ferreira, Hermilo Borba Filho, Miguel Arraes, Paulo Cavalcanti, Jaci Bezerra, Manuel Bemtevi, Jayme Griz, Maria de Lourdes Hortas, Pelópidas Soares, Juareiz Correya, José Terra, Cida Pedrosa, Jailson Marroquim, Luiz Carlos Monteiro, Luís Reis, Nagib Jorge Neto, Marcos Cordeiro, Manoel Onofre Jr., Veríssimo de Melo, Luciano Maia, Caio Porfírio Carneiro, Natanael Lima Jr., Frederico Spencer e Antonino Oliveira, entre outros.    

quarta-feira, 27 de março de 2013

PANAMERICA NORDESTAL, do Recife, prepara o lançamento da sua livraria virtual






     A editora recifense PANAMERICA NORDESTAL (http://www.panamerica.net.br) iniciará, na segunda quinzena de abril próximo, a montagem e gerenciamento da sua livraria virtual especializada em ebooks.  Serão divulgados, preferencialmente, catálogos de editoras comprometidas com a publicação de autores brasileiros e latino-americanos ou panamericanos.  Nesse sentido, o escritor Juareiz Correya, diretor editorial da PANAMERICA NORDESTAL, mantém entendimentos com a Editorial Emooby Pubooteca, de Portugal, que já produziu mais de 200 títulos de ebooks da literatura brasileira, latino-americana, portuguesa e espanhola. 

     Ainda neste ano de 2013, a PANAMERICA NORDESTAL lançará ebooks destes autores pernambucanos : Ascenso Ferreira, Hermilo Borba Filho, Jaci Bezerra, José Terra, Juareiz Correya, Maria de Lourdes Hortas e Paulo Cavalcanti ;  lançará também ebooks de outros autores pernambucanos e nordestinos e antologias poéticas temáticas sobre o Recife, Natal, São Paulo, o Brasil e a América.   



quinta-feira, 21 de março de 2013

CINEMA NO HOSPITAL, de Ramos Sobrinho




          Para Isabela Cribari



Cada poeta carrega,
às costas,
suas pedras, 
mesmo se traz as mãos limpas
e a alma leve,
e com elas constrói
suas barricadas contra a dor :
a cela escura a céu aberto 
- às vezes 
tão ficticiamente verdadeira.  


Que pode a arte 
ante a ferocidade destas horas, 


quando a calmaria 
antecede a tempestade ?



(Olinda, 2012)



sábado, 16 de março de 2013

O meu Galaxy





no meu peito
do lado direito 
ao lado do meu coração 
outro coração 
pulsa em sintonia 
com todo o mundo
- portátil eletrônico internético -
como se tivesse vida própria. 
ele é tudo 
e é apenas um aparelho
de toques e sensações virtuais 
energizadas e vitalizadas 
pela energia natural 
do meu vivo coração.  
 
 
JUAREIZ CORREYA 
 
(Recife, 14/março/2013)

segunda-feira, 11 de março de 2013

POESIA VIVA DO RECIFE : "RECIFE REENCONTRADO" (fragmento), de Margarida Lucena da Hora




Homenagem aos 476 anos da Cidade




Estrangeira,
vi-te, amiga,
irmã de passada convivência.
Reconheci teu chão,
de mar e maresia,
tuas árvores,
teus rios,
de verdade e sonho,
onde a noite,
iluminando tuas águas,
lenta,
parecia descer a Via Láctea
separando a sombra e o amanhecer. 
Sabia do roteiro dos teus astros,
caminho de vento e chuva,
na luz permanente de teu céu. 
 
...........................................................
 
 
(Da antologia POESIA VIVA DO RECIFE,
organizada por Juareiz Correya)
 
 
__________________________________________________
MARGARIDA LUCENA DA HORA - Nasceu em Guarabira
(PB). Bacharel em Direito pela UFPE.  Poemas publicados
em jornais recifenses e na Revista Branca (RJ).  Inédita em
livro.  Participou da primeira edição da antologia POESIA
VIVA DO RECIFE (CEPE / Governo de Pernambuco,
 Recife, 1996).
 
 
Transcrito da AGENDA CULTURAL (Março, 2013) /
Seção "Literatura"
 - Prefeitura do Recife / Secretaria de Cultura /
Fundação de Cultura Cidade do Recife 
 
 
 
 

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

PARA UMA MULHER ATEMPORAL, de Juareiz Correya






Transformo tua agonia em alegria 
E o medo dos teus olhos
Se faz luz corajosa
Ninguem jamais acreditou em ti 
Mas eu não tenho nenhuma dúvida 
Sobre cada palavra 
Que o teu coração pronuncia 
Caminho ao teu lado 
Muito antes do nosso encontro 
E sei que vivi todos os meus anos 
Para melhor conhecer as descobertas 
Dos dias inaugurais do nosso tempo





(Ipsep, Recife,
26/fevereiro/2013)

domingo, 17 de fevereiro de 2013

POESIA VIVA DO RECIFE em cartaz : homenagem aos 476 anos da cidade






     A Panamerica Nordestal Editora programa a edição de 16 cartazes de poesia sobre o Recife, com textos de poetas selecionados da segunda edição da antologia POESIA VIVA DO RECIFE a ser lançada ainda neste ano de 2013.  Os cartazes de poesia reproduzem textos que já estão sendo divulgados nas edições mensais da AGENDA CULTURAL, da Prefeitura do Recife / Secretaria de Cultura / Fundação de Cultura Cidade do Recife, desde novembro / 2011.  O conjunto de cartazes de poesia será distribuído e exposto em mais de 150 escolas da rede pública municipal e da rede pública estadual localizadas no Recife.  Os cartazes também serão expostos nos espaços culturais da Prefeitura do Recife.  

     Estes são os poemas / poetas dos cartazes de poesia que homenageiam a capital pernambucana  neste ano do 476o. aniversário de fundação da Cidade do Recife :

     RECIFE (fragmentos), de Abel Menezes Filho; REFLEXÕES DO CAPIBARIBE, de Bartyra Soares; RECIFE EM DEZEMBRO, de César Leal; O CANTO DO GALO, de Robson Sampaio; A RUA, de Débora Brennand; GEOGRAFIA DO MAL, de Eduardo Martins; RECIFE, SIGNO DE UM POVO, de Fátima Ferreira; BANDEIRIANA, de Gilson Oliveira; A MINHA RECIFE, de Ivan Marinho Filho; RECIFE : GEOGRAFIA PESSOAL, de Jaci Bezerra; POEMA SUSPENSO DENTRO DO RECIFE, de Juareiz Correya; CANTO QUASE PAISAGÍSTICO, de Lea Tereza Lopes; CAIS - Décimo Quarto Canto, de Manoel Constantino; O MILAGRE DOS CAJUS NO NATAL DO RECIFE, de Júlia Lemos; FAMILIARIDADE, de Fernando Monteiro; FREVO DE VÁRZEA, de Wilson Araújo.  

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

BACANAL, poema de Manuel Bandeira, inspira mulheres no Carnaval do Recife





B A C A N A L 



Quero beber ! Cantar asneiras,
No esto brutal das bebedeiras
Que tudo emborca e faz em caco...
Evoé Baco !


Lá se me parte a alma levada
No torvelim da mascarada,
A gargalhar em douro assomo
Evoé Momo !


Lacem-na toda, multicores,
As serpentinas dos amores,
Cobras de lívidos venenos...
Evoé Vênus !


Se perguntarem : Que mais queres,
Além de versos e mulheres ?
- Vinhos !... o vinho que é o meu fraco !...
Evoé Baco !


O alfange rútilo da lua,
Por degolar a nuca nua
Que me alucina e que não domo!...
Evé Momo !


A Lira etérea, a grande Lira !...
Por que eu extático desfira 
Em seu louvor versos obscenos,
Evoé Vênus !



____________________________________________________________

As poetisas Cida Pedrosa, Susana Morais, Mariane Bigio e Rita Marize,
integrantes do Grupo Bem Dita, convidam para participação
na Troça Carnavalesca Bacanal do Bandeira. 
Inspirado no livro CARNAVAL, lançado em 1919, o projeto programa 
nesta quarta-feira, dia 6 de fevereiro, no Espaço Pasárgada
(Rua da União, 63, Boa Vista, Recife, PE), das 16 às 19 horas :
Lançamento de Livro, Concentração da Troça e Saída da Troça
(Orquestra de Frevo, Frevioca e Boneco Gigante de Manuel Bandeira).

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

POESIA VIVA DO RECIFE : "Familiaridade", de Fernando Monteiro





Um recifense  
a primeira coisa que faz 
é se adaptar 
ao mais previsível pequeno destino 
possível 
assim como quem sabe  
que vai avistar  
os mesmos mendigos  
nas mesmas esquinas  
da cidade que o acostumou já  
à visão das chagas de um 
- como à aparente saúde de outro - 
pois os pequenos destinos  
curiosamente se combinam 
com os familiares pedintes  
para definir, 
cedo ou tarde, 
o que faz um recifense  
ser do Recife.    



(Da antologia Poesia Viva do Recife, 
organizada por Juareiz Correya) 



________________________________________________________________
FERNANDO MONTEIRO  - Recifense. Poeta, ficcionista, de projeção nacional, 
ensaísta, cineasta e crítico de arte. Textos publicados em revistas culturais 
brasileiras. Articulista do jornal literário Rascunho, de Curitiba (PR). 
Poesia publicada : MEMÓRIAS DO MAR SUBLEVADO, LEILÃO SEM PENA,
 ECOMÉTRICA. Participou da  1a. edição da antologia POESIA VIVA
 DO RECIFE (1996).  

...................................................................
Transcrito da AGENDA CULTURAL (Janeiro 2013) 
- Prefeitura da Cidade do Recife / Secretaria de Cultura 
 Fundação de Cultura Cidade do Recife  
(http://www.recife.pe.gov.br/agendacultural)  


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

POESIA VIVA DE SÃO PAULO : Um presente para o aniversário da cidade





     A capital paulista comemora, sexta-feira próxima, dia 25 de janeiro, o seu 459o. aniversário de fundação.  A maior cidade do Brasil e da América Latina, berço do Modernismo Brasileiro, produziu e continua produzindo poesia moderna, contemporânea, como poucos grandes centros urbanos do nosso país.  Parte dessa produção, inteiramente voltada para o retrato mais humano dessa exemplar metrópole,  está reunida na antologia POESIA VIVA DE SÃO PAULO, ainda inédita, organizada, há alguns anos, em parceria com a poetisa paulistana Dalila Teles Veras, e que reune poemas sobre a cidade de autoria de mais de 80 poetas do Estado.  Estamos retomando o projeto para edição especial em janeiro de 2014, quando São Paulo completará 460 anos de fundação. 

     Até o início do segundo semestre deste ano concluiremos a pesquisa dos novos textos poéticos escritos e publicados sobre a cidade e que ainda não estão incluídos nesta antologia.  Apresentamos alguns poetas com poemas já selecionados para a antologia POESIA VIVA DE SÃO PAULO :

     Alberto Beuttenmuller, Álvaro Alves de Faria, Aristides Klafke, Aristides Theodoro Sampaio, Caio Porfírio Carneiro, Carlos Felipe Moisés, Carlos Fydman, Cláudio Feldman, Cláudio Willer, Dalila Teles Veras, Eduardo Alves da Costa, Erorci Santana, Eunice Arruda, Fabiana Correa, Fernando Coelho, Frederico Barbosa, Furio Lonza, Glauco Mattoso, Hamilton Faria, Horácio Costa, Idelma Ribeiro de Faria, Ieda Estergilda de Abreu, Ilka Brunhilde Laurito, Izacyl Guimarães Ferreira, João Scortecci, Joca Reiners Terron, Jorge Mautner, Jurema Barreto de Souza, Lenilde Freitas, Levi Bucalem Ferrari, Luiz Roberto Guedes, Maria José Giglio, Maria Luiza Mendes Fúria, Maria Rita Kehl, Mariana Ianelli, Mário Chamie, Miguel de Almeida, Mirian Paglia Costa, Neide Archanjo, Nelson dos Reis, Otoniel Santos Pereira, Régis Bonvicino, Renata Pallottini, Reynaldo Damázio, Roberto Piva, Rosani Abou Adal, Sérgio Galli, Tarceu Pinto, Ulisses Tavares, Zhô Bertholini.  (TEXTO DE JUAREIZ CORREYA)

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

2013 : Álbum, Calendário e Agenda CEPE com fotografias em preto & branco de Alcir Lacerda





     A Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, além do lançamento, em edição especial do álbum ALCIR LACERDA - Fotografia (coletânea de fotos do "mestre do preto e branco" organizada por Betty Lacerda, filha do fotógrafo), relevou a produção jornalística e artística do pernambucano Alcir Lacerda, com a seleção de 12 trabalhos culturalmente expressivos, para o Calendário e a Agenda CEPE 2013.  "O livro reune imagens captadas ao longo das últimas oito décadas..." com opiniões de autoridades e personalidades culturais pernambucanas - Eduardo Campos (Governador de Pernambuco), Fred Jordão (fotógrafo), Betty Lacerda (organizadora da publicação), Fabiana Bruce (historiadora), Leonardo Dantas Silva (historiador), Ítalo Bianchi (publicitário) e Luiz Amorim (arquiteto) - que atestam a importância de Alcir Lacerda, "hoje, uma das referências na História da Fotografia do Nordeste do Brasil", como afirma o fotógrafo Fred Jordão.  

     No Calendário e na Agenda CEPE 2013, a fotografia de Alcir Lacerda ilustra cada mês do ano com os seguintes registros : JANEIRO ( "Duas Épocas", Recife, 1975), FEVEREIRO ("Carnaval", Recife, 1960), MARÇO ("Igreja do Senhor Bom Jesus dos Martírios", Recife, 1973), ABRIL ("Rua do Amparo / esquina Beco das Cortesias", Olinda, 1970), MAIO ("Teatro de Santa Isabel, Recife, 1970), JUNHO ("Amor em Ruínas", Forte de Santo Inácio, Tamandaré, PE, 1974), JULHO ("Missa do Vaqueiro", Serrita, PE, 1987), AGOSTO ("Joana Maria da Conceição, viúva do Mestre Vitalino", Caruaru, PE, 1970), SETEMBRO ("Praia de Gaibu", Cabo de Santo Agostinho, PE, 1960), OUTUBRO ("E o amanhã ?", Engenho Covas, Ribeirão, PE, 1963), NOVEMBRO ("Vendedor de Coco", Recife, 1970), DEZEMBRO ("Porto do Recife", Recife, 1970). 

      ___________________________________________________

     Acreditamos que a AGENDA CEPE 2013, com a arte fotográfica de Alcir Lacerda, não deveria ficar apenas restrita à distribuição promocional (como ocorre há alguns anos com as excelentes agendas anuais publicadas pela CEPE).  A sua distribuição comercial em várias livrarias, espaços culturais e bancas de jornais da capital pernambucana poderia ampliar a divulgação e valorização do seu trabalho editorial e dos artistas e escritores que publica, sensibilizando um público maior e  mais diversificado do nosso Estado.  

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

AMERICANTO AMAR AMÉRICA - Poema em 3 Dimensões : ebook da Emooby Pubooteca / Panamerica Nordestal Editora






     Escrito originalmente em língua brasileira, no ano de 1972, em  São Paulo (SP), e publicado no Recife (PE) no ano de 1975, o poema Americanto Amar América, de Juareiz Correya, será lançado em ebook, neste ano de 2013, coeditado pela Emooby Pubooteca (Portugal) e pela Panamerica Nordestal Editora (Brasil).  Publicado como um "poema em 3 dimensões"  - Língua Brasileira (original), Español (tradução do mexicano Alberto Vivar Flores) e Desenho (quadrinhos do artista plástico pernambucano Roberto Portella) -,  o ebook é a primeira coedição realizada pelas editoras portuguesa e brasileira.  

    AMERICANTO AMAR AMÉRICA - Poema em 3 Dimensões apresenta também os textos "A Palavra Americanto", de Juareiz Correya, e "Juareiz Correya : el poeta Americanto", de Alberto Vivar Flores, que contextualizam a projeção do poema e do poeta na literatura brasileira e panamericana.  O ebook registra também opiniões sobre o poema de Geneton Moraes Neto, Leda Rivas, Montez Magno, Eduardo de Lucena, Antonio de Campos, Paulo Azevedo Chaves e Ariadne Quintella.  E opiniões sobre a tradução de Cida Pedrosa, Beatriz Brenner, Cyl Gallindo e Sidney Rocha.  




terça-feira, 8 de janeiro de 2013

CÉU DE PALMARES, O MAIS AZUL DOS CÉUS, de Giovanna Guterres






Ia para o comércio te procurar 
Olhava para o lado de onde seria tua casa, ou não,
E tinha uma serra verde,
Um tapete bordado por Deus,
E no final de tudo, soberano,
Um céu de azul refrescante,
Juntamente com as casinhas sem muro, todas iguais.  


É uma visão que tenho em minha memória,
Uma visão bela :
A serra verde e um céu de cor única,
O mais azul dos céus. 




(Recife, 6 / janeiro / 2013)

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

PANAMÉRICA inaugura loja virtual, especializada em ebooks, neste primeiro trimestre de 2013






     O site Panamerica Nordestal (http://www.panamerica.net.br) completa, em maio deste ano de 2013, o seu segundo aniversário de exposição e atividade na Internet, com a parceria da hospedagem da HostMais Global Servers (http://www.globalservers.com.br), e lançará a sua loja virtual, inteiramente dedicada a divulgação/comercialização de ebooks que serão produzidos pela própria Panamerica Nordestal Editora e Produções Culturais e também dedicada a distribuição comercial de ebooks produzidos por outras editoras, a exemplo da Emooby Pubooteca (http://www.emooby.com), de Portugal.  

     Comprometida com a publicação da literatura brasileira e panamericana, a editora do Recife (PE) lançará, inicialmente, ebooks destes escritores pernambucanos : Ascenso Ferreira, Hermilo Borba Filho, Jaci Bezerra, José Terra, Juareiz Correya, Maria de Lourdes Hortas e Paulo Cavalcanti.  E estão em preparo estas antologias : AMÉRICA POÉTICA VIVA - Poemas de Hector Pellizzi (Argentina), Juareiz Correya  (Brasil), Alfred Asís (Chile) e Alberto Vivar Flores (México) -, FUTEBOL É POESIA (Poemas Brasileiros), POESIA VIVA DO RECIFE (segunda edição, em 2 ebooks) e O LIVRO DE TODOS OS CORAÇÕES (Poemas Brasileiros e Estrangeiros).