sábado, 16 de março de 2013

O meu Galaxy





no meu peito
do lado direito 
ao lado do meu coração 
outro coração 
pulsa em sintonia 
com todo o mundo
- portátil eletrônico internético -
como se tivesse vida própria. 
ele é tudo 
e é apenas um aparelho
de toques e sensações virtuais 
energizadas e vitalizadas 
pela energia natural 
do meu vivo coração.  
 
 
JUAREIZ CORREYA 
 
(Recife, 14/março/2013)

segunda-feira, 11 de março de 2013

POESIA VIVA DO RECIFE : "RECIFE REENCONTRADO" (fragmento), de Margarida Lucena da Hora




Homenagem aos 476 anos da Cidade




Estrangeira,
vi-te, amiga,
irmã de passada convivência.
Reconheci teu chão,
de mar e maresia,
tuas árvores,
teus rios,
de verdade e sonho,
onde a noite,
iluminando tuas águas,
lenta,
parecia descer a Via Láctea
separando a sombra e o amanhecer. 
Sabia do roteiro dos teus astros,
caminho de vento e chuva,
na luz permanente de teu céu. 
 
...........................................................
 
 
(Da antologia POESIA VIVA DO RECIFE,
organizada por Juareiz Correya)
 
 
__________________________________________________
MARGARIDA LUCENA DA HORA - Nasceu em Guarabira
(PB). Bacharel em Direito pela UFPE.  Poemas publicados
em jornais recifenses e na Revista Branca (RJ).  Inédita em
livro.  Participou da primeira edição da antologia POESIA
VIVA DO RECIFE (CEPE / Governo de Pernambuco,
 Recife, 1996).
 
 
Transcrito da AGENDA CULTURAL (Março, 2013) /
Seção "Literatura"
 - Prefeitura do Recife / Secretaria de Cultura /
Fundação de Cultura Cidade do Recife