quinta-feira, 12 de novembro de 2009

PROGRAMA BNB DE CULTURA / PARCERIA BNDES : DIVULGAÇÃO SAI NO DIA 20 DESTE MÊS

O resultado dos projetos contemplados pelo Programa BNB de Cultura / Parceria BNDES - Edição 2010, previsto para o dia 30 de outubro, só será conhecido no dia 20 deste mês de novembro. Segundo a Assessoria de Comunicação da Superintendência Estadual de Pernambuco, "o adiamento ocorre por fatos que impactaram na finalização do processo de tabulação e consolidação dos dados oriundos de alguns Estados. Na edição de 2010, o programa vai destinar R$ 6 milhões para iniciativas culturais das áreas de música, artes cênicas, artes visuais, literatura, audiovisual e artes integradas ou não específicas originárias dos nove Estados do Nordeste, do norte de Minas e do Espírito Santo. O objetivo é contemplar, no mínimo, 225 ações."
A lista completa dos projetos que poderão ser patrocinados estará disponível no site do BNB
(www.bnb.gov.br)
Na área de Literatura estão destinados R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) para viabilizar o patrocínio de aproximadamente 30 projetos (estão inscritos mais de 300 projetos)
que contemplem as ações de incentivo à leitura e formação de novos leitores, de valorização e estímulo à criação e circulação de acervos biobibliográficos, de ampliação e renovação de bibliotecas públicas e escolares, além da produção literária individual ou coletiva em todos os estilos, dirigidas ao público adulto e ou infantil, compreendendo a edição de livros, folhetos de cordel, revistas, histórias em quadrinhos, publicações eletrônicas, pesquisas culturais e similares, entre outros.

AMERICANTO AMAR AMÉRICA é blog-livro na Internet

Em lugar de postagens de um blog se transformarem em páginas de um livro, como já vem ocorrendo nos meios editorais, são as páginas de um livro que agora se transformam em postagens de um blog na rede mundial de computadores. O caminho inverso que eu estou experimentando na Internet viabilizará a leitura aberta do meu livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20 com todas as suas páginas postadas no blog AMERICANTO AMAR AMÉRICA (http://americantoamerica.blogspot.com). O livro será lançado pela Nordestal Editora, do Recife, com tiragem especial de 1.000 exemplares, em março/2010, assinalando 40 anos da minha produção poética, iniciada, precisamente, em janeiro de 1970, quando publiquei, no jornal O Olho, de Palmares (PE), os versos de "Poema vago olhando a cidade".
As primeiras páginas já foram postadas em julho deste ano. Continuo renovando as postagens, sem pressa, sem periodicidade, e devo postar todos os textos do livro (são mais de 80 poemas, de diversas publicações datadas de 1970 a 1973), ainda no primeiro semestre de 2010. E, após a postagem de todos os poemas, o blog AMERICANTO AMAR AMÉRICA apresentará opiniões, que estão no livro, sobre o poema "Americanto" e sobre o meu trabalho publicado, dos seguintes escritores e jornalistas : Pelópidas Soares, Graça Lins, João Batista de Queiroz, Hermilo Borba Filho, Mauro Mota, Paulo Azevedo Chaves, Geneton Moraes Neto, Jaci Bezerra, Leda Rivas, Montez Magno, Eduardo de Lucena, Antonio de Campos, Anamélia Maciel, Potiguar Matos e Nagib Jorge Neto.
O blog-livro é link do JORNAL DO JUAREIZ (http://blig.ig.com.br/juareizcorreya)

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

DOIS POEMAS DO NOVO SÉCULO

RUA DO IMPERADOR, RECIFE


Rua onde hoje impera a dor
de maltrapilhos excluídos trapos humanos
da miséria urbana socializada como um câncer em flor
da sub-raça inumerável como uma chaga aberta
exposta purulência identificando o nome da cidade
corpo de vísceras podres e coração impotente
sangrando à luz do dia
manchando a luz do dia
morrendo todos os dias

............................................................

ILHA DE SANTO ANTONIO


Em tempos de guerra
Ascenso viu o bairro de São José
invadido por panzer divisões
destruindo edificações
desfigurando o Recife e sua história.
Nestes dias de paz insegura
da aurora do novo século,
também palmarino como o poeta
- com os meus olhos acesos de espanto -
vejo, sem liberdade e sem nação,
a desordem o regresso o desgoverno
drogando e suicidando
a ilha inteira do bairro de Santo Antonio,
o centro inútil do Recife,
a capital perdida de Pernambuco.

JUAREIZ CORREYA
(do livro inédito POEMAS DO NOVO SÉCULO)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

FLIPORTO 2009 em edição exclusiva da Revista Continente

"Assim como a FLIPORTO, a Continente, durante seus nove anos de existência, investiga as diversas concepções do que seja a cultura brasileira, sem deixar de lado os elementos que a cercam e que a formaram. Para comemorar a quinta edição da festa, um apanhado do nosso acervo com trechos de artigos e entrevistas com pensadores, artistas e escritores que se relacionam com a cultura e o imaginário propostos pelo evento", informa a apresentação da edição especial da Revista Continente (CEPE-Companhia Editora de Pernambuco / Secretaria da Casa Civil / Governo de Pernambuco, Recife, novembro, 2009) produzida para distribuição gratuita exclusiva na FLIPORTO - Festa Literária Internacional de Porto de Galinhas (PE), em Ipojuca, que ocorreu do dia 5 ao dia 8 deste mês de novembro.
Documento à parte da edição de novembro da Revista Continente, o caderno especial publicado - "FLIPORTO IBERO-AMERICANA" - reune autores do Brasil (23), Portugal (2), Espanha (3), Argentina (1), México (1), Cuba (1) e Haiti (1). Em suas 48 páginas, essa "antologia" de autores ibero-americanos selecionados de diversos números das edições mensais da Revista Continente, se associa à realização da FLIPORTO 2009 que "como um grande painel" expôs "os elementos da cultura ibero-americana discutidos e contextualizados dentro de sua relação com o Brasil". Os textos publicados podem ser acessados no site continenteonline (www.revistacontinente.com.br) :
"Culturas e identidades ibero-americanas" (artigo de Angel-B. Espina Barrio); "Embaixador da cultura e literatura brasileiras" (entrevista de Antonio Maura); "Atrito entre a vida e a palavra" (entrevista de Armando Freitas Filho); "Discípulo de Nabuco" (entrevista de Caetano Veloso); "A Europa não tem projeto cultural" (entrevista de Eduardo Subirats); "Eu sou meus personagens" (entrevista de Fausto Wolff); "Eduardo Galeano : o cavaleiro andante contra os moinhos da globalização" (artigo de Alexandre Costa); "A criação da vida pela poesia" (entrevista de Ferreira Gullar"); "Uma voz da periferia na literatura" (entrevista de Ferréz); ""Por que utopias ?" (artigo de Emir Sader); "Uma vida para a literatura" (entrevista de Flávio Morerira da Costa); "O meu modo de investigar é escrever romances" (entrevista de Gonçalo Tavares); "O que faço para o cinema é literatura" (Guilhermo Arriaga); "Acesso insólitas figurações carnais" (João Gilberto Noll); "O dinossauro fala" (entrevista de José Saramago); "O Brasil não é (e é) o Haiti" (entrevista de Laennec Hurbon); "O labirinto de Octávio Paz" (artigo de Daniel Piza); "O mundo de uma varanda de Botafogo" (entrevista de Ledo Iovo); "Dou voz aos anônimos" (entrevista de Luiz Ruffato); "Um escritor fora da redoma" (entrevista de Marcelino Freire); "Deusa da literatura contra o dragão da imprensa" (entrevista de Márcia Denser); "Portugal e Brasil : melancolia em dois sotaques" (artigo de Fabrício Carpinejar); "Essa história de modernidade aqui no Brasil está mal colocada" (entrevista de Márcio Souza); "Realismo sujo que vem de Cuba" (entrevista de Pedro Juan Gutiérrez); "Lama na alma" (artigo de Luiz Carlos Monteiro); "Se não há qualidade, a crítica deve denunciar" (entrevista de Sábato Magaldi); "Minha geração trouxe melhores prosadores do que a geração 90" (entrevista de Santiago Nazarian); "O império da imaginação e da fantasia" (entrevista de Sebastião Uchoa Leite); "O moralizador Eça de Queiroz" (artigo de Ruy dos Santos Pereira); "Os pecados de uma nação" (entrevista de Tomás Eloy Martínez); "A oficina de Almanzor" (artigo de Alberto da Cunha Melo).