sábado, 12 de junho de 2010

Teatro Cinema Apolo : "mais novo" com 96 anos

O Governo Eduardo Campos reabriu, nesta quarta-feira (9 de junho), dia do 131o. aniversário de emancipação do Município dos Palmares, o TEATRO CINEMA APOLO, sede da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, patrimônio estadual pernambucano tombado pela FUNDARPE na última década do século passado. Restaurado e reformado, neste ano do seu 96o. aniversário de fundação (datada de 6/dezembro/1914), o Teatro Cinema Apolo volta à atividade, no município dos Palmares, para servir novamente ao desenvolvimento cultural dos palmarenses e dos cidadãos da região Mata Sul de Pernambuco. É o seu destino, espaço cultural irradiador da vida artística local desde a segunda década do século passado e que, após um breve período de inatividade, ameaçado de fechar e de se transformar em um banco, igreja evangélica ou loja de eletrodomésticos, foi salvo, em 1983, para a perenidade da sua história, pela ação empreendedora do então prefeito Luiz Portela de Carvalho, ao adquirir o edifício para a Prefeitura dos Palmares com o objetivo de transformá-lo em sede da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, criada em seu governo.

Hoje, faltando 4 anos para completar um século, o Teatro Cinema Apolo está "novinho em folha", para alegria e orgulho dos palmarenses e das comunidades da região. A sua reforma e melhoria é uma obra garantida pela competência técnica da FUNDARPE, patrocinada pelo PROMATA - Programa de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável da Zona da Mata de Pernambuco/ Secretaria Especial de Articulação Regional/ Governo de Pernambuco, em convênio com o Banco Mundial. Os investimentos - na ordem de R$ 1.900.000,00 - foram devidamente aprovados "de acordo com a louvável iniciativa da Comissão Temática de Cultura do PIM - Programa de Investimento Municipal, do PROMATA - Palmares, em 2003. Aprovado o projeto nesse tempo, só o atual Governo Eduardo Campos é que viabilizou o empreendimento", como já tivemos oportunidade de registrar em artigos publicados no DIARIO DE PERNAMBUCO ("O Apolo, Hermilo, Arraes e Eduardo", de 31/julho/2008, e "O Governo de Pernambuco e a Fundação Hermilo", de 11/junho/ 2009).

Vale a pena ressaltar, por uma questão de respeitosa justiça, a decisiva participação de educadores, poetas, músicos, artistas plásticos e cênicos, e artesãos pernambucanos que integraram a Comissão Temática de Cultura do PIM, do PROMATA-Palmares, lutando pela reforma e melhoria do Teatro Cinema Apolo (fechado por causa do desabamento de parte da sua coberta, em 2001), em sua histórica ação no ano de 2003 : José Rodrigues de Lima, Silvana Maria do Nascimento, Ginaldo Napoleão de Barros, Zé Ripe, Miriam Santos de Lima, Edna Santos de Lima, Gleide Vasconcelos Silva, Maria José Balbino,Deny Cesar, Sandro Ricardo Agrelli e este articulista, então presidente da Fundação Hermilo.

Agora reaberto em festa mais do que justificada dos governos municipal e estadual, o Teatro Cinema Apolo, com certeza, voltará à cena cultural de Palmares e de Pernambuco com as suas atividades naturais de teatro e de cinema, em seu palco aberto também para a dança e para a música, e promovendo, em seu privilegiado auditório, palestras, debates e encontros culturais que reflitam o seu importante papel de teatro mais antigo do Interior do Estado e de sede da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, a primeira fundação cultural criada no Interior de Pernambuco. Uma instituição municipal que, por suas ações abrangentes, já representa a cultura de toda a região Mata Sul pernambucana.


______________________________

JUAREIZ CORREYA é ex-presidente
da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho