sexta-feira, 4 de setembro de 2009

AMERICANTO : exposições e palestras no Recife, Igarassu e Olinda

A exposição de um conjunto de 16 desenhos do artista plástico pernambucano Roberto Portella, ilustração quadrinizada do poema "Americanto Amar América", será inaugurada no próximo dia 18 deste mês, às 18h30m., no Gabinete Português de Leitura de Pernambuco (Rua Imperador Pedro II, 290, Santo Antonio, Recife, PE), com palestra do poeta e editor Juareiz Correya, autor do poema ilustrado, sobre a exposição e o seu livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20. A exposição dos desenhos e a palestra sobre o
livro serão apresentadas, de forma itinerante, nos meses seguintes, em outras 7 cidades pernambucanas, com o apoio cultural da Companhia Editora de Pernambuco - CEPE.
Em outubro, a Secretaria de Cultura, da Prefeitura Municipal de Igarassu, promove a exposição e palestra na quinta-feira, dia 15, às 15 horas, no Centro de Arte e Cultura de Igarassu (Rua Joaquim Nabuco, s/n, Centro); e, na sexta-feira, dia 30, às 19 horas, a exposição dos desenhos de Roberto Portella sobre o poema "Americanto Amar América" e a palestra de Juareiz Correya serão apresentadas na Galeria de Arte Tereza Costa Rego, do Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco - MAC (Rua 13 de Maio, 157, Amparo, Olinda, PE).
A exposição dos desenhos que ilustram o poema-título do livro AMERICANTO AMAR AMÉRICA E OUTROS POEMAS DO SÉCULO 20, será apresentada ainda nos municípios pernambucanos do Cabo de Santo Agostinho, Vitória de Santo Antão, Ipojuca, Caruaru e Garanhuns, até janeiro 2010, mês em que ocorrerá, entre os assinantes da edição do livro, o sorteio do conjunto dos 16 desenhos originais que ilustram o poema "Americanto". Em março, a Panamérica Nordestal Editora lançará o livro no Recife e em Palmares, terra natal do autor, e, durante o ano, ocorrerão outros lançamentos em João Pessoa, Natal, Fortaleza, Maceió, Salvador e São Paulo.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Dalila Teles Veras e o Recife

Coração de poeta não falha.
Retrata o Recife
com a sua doce e emocionada fala
e o Recife não dói
fica mais eterno
na sua prosa e no seu verso.


JUAREIZ CORREYA

(Recife, 29/agosto/2009)

Dalila Teles Veras : Retratos do Recife (sem falhas), 2

O ESTADO DE PERNAMBUCO
É TIDO E SABIDO COMO TERRA DE POETAS


Sem contar as estrelas máximas da constelação ali nascida, Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto, grandes dentre os grandes, sublinharia Joaquim Cardozo, Ascenso Ferreira, Solano Trindade, Mauro Mota, Carlos Pena Filho, Sebastião Uchoa Leite, João Alexandre Barbosa (crítico saudoso que um dia me deu a honra de aceitar o convite para pronunciar uma inesquecível palestra na livraria Alpharrábio sobre João Cabral), só para ficar entre os mortos, porque citar os vivos (e são muitos e dentre eles muito amigos) é tarefa arriscada e perigosa, posto que fácil é incorrer no esquecimento e... pronto, ali estaria formado o conflito.
Se Pernambuco é um estado de poetas, Recife é a cidade que os cultua. Foi realmente uma grande surpresa me deparar com mais de uma dezena de poetas, músicos e prosadores pernambucanos (ou que ali viveram) imortalizados em ruas e praças daquela cidade, através de esculturas do artista Demétrio Albuquerque e placas com seus versos ou trechos de suas obras.
Trata-se do denominado Circuito da Poesia, promovido pela Prefeitura Municipal com o apoio do Banco do Brasil, e que retrata e homenageia Manuel Bandeira, João Cabral de Melo Neto, Capiba, Mauro Mota, Carlos Pena Filho, Antonio Maria, Luiz Gonzaga, Ascenso Ferreira e Chico Science. Impossível, por mais defeitos que possamos ali enxergar, não cair de amores por uma cidade que respeita assim os seus poetas.
Não por acaso, meus protetores naquela cidade foram dois poetas : Maria de Lourdes Hortas (diretora cultural do GPL) e Juarez Barbosa Correia, que não pouparam esforços para que o lançamento de RETRATOS FALHADOS no Gabinete Português de Leitura fosse o que foi, um momento para guardar na memória dos afetos. Não é conveniente citar, mas não só preciso citar como também agradecer, além dos zelosos guardiões da poeta, como também àqueles outros escritores que lá estiveram como Jomard Muniz de Britto (com quem troco "figurinhas" de longa data), Lourdes Sarmento (que também já conhecia de outros encontros literários), Pedro Américo, Cyl Gallindo, Rogério Generoso, Fernanda Jardim, Esmeralda Moura, Andréa Campos, que generosamente me contemplaram com o prestígio de sua presença e leitura de meus poemas. Também agradecer a presença de parentes "emprestados" e, como esses escritores, até então desconhecidos, Marlene, Gorete e Rosália e a jovem Raquel, a grande surpresa da noite, com sua performática leitura. Resta agradecer ao Presidente do GPL, Vicente Miranda Reis de Melo, gentil anfitrião que, diante da poeta, quebrou todos os protocolos, também entrou na informalidade, lendo (e confessando que essa era a primeira vez que fazia uma leitura pública de um poema) um poema de RETRATOS FALHADOS.
Bem hajam todos.

_______________________________
Transcrito do blog À MARGEM DOS DIAS
(http://dalilatelesveras.zip.net /
Postagem do dia 08/08/2009.

_________________

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Dalila Teles Veras : Retratos do Recife (sem falhas)

CASA-MUSEU
MAGDALENA E GILBERTO FREYRE


A casa onde
os livros habitam
os livros que
a casa recolhe
alfarrábios que
alimentam obra e
homem
livros
de um homem
que só quis ser
escritor



BRENNAND, ARTE E SÍMBOLOS

Fábrica de cerâmica ? Mais...
Usina de arte, templo guardado
por
pássaros roca e serpentes
arcos sempre retesados
flexas prontas para o criar
(arsenal inesgotável)
simbologias

O artista e seu pacto com o fogo
(que interfere e determina)
Formas moldadas pelo gênio
acatam o determinismo do forno.



GABINETE PORTUGUÊS DE LEITURA
DE PERNAMBUCO

É obra de lusos para lusos
e brasileiros e todos os povos
que por ali passam e dele queiram
usufruir do seu legado
Neste belo casarão do Século XIX
luso-brasileiros acolhem com fidalguia
outros luso-brasileiros
que dele se valem
como passagem e abrigo

Os retratos aqui apresentados
falhos que são
(re)velados foram
pela celebração de afetos
e trocas e poemas e leituras
agora
relicário para a memória


_______________________________
- transcrito do blog À JANELA DOS DIAS
(http://dalilatelesveras.zip.net) /
postagens de 07 e 08/08/2009.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Literatura : uma das áreas mais concorridas do "Programa BNB de Cultura - Edição 2010 - Parceria BNDES"

Mais de 300 projetos de Literatura estão habilitados para o processo de seleção no PROGRAMA BNB DE CULTURA - EDIÇÃO 2010 - PARCERIA BNDES, de acordo com a divulgação publicada no site do BNB (http://www.bnb.gov.br ) junto com os projetos habilitados das áreas de Artes Cênicas, Artes Integradas, Artes Visuais, Audiovisual e Música. Os projetos de Literatura inscritos superam significativamente a soma dos projetos de todas as áreas que serão aprovados nesta edição do Programa, um patrocínio comprometido com a realização de aproximadamente 225 projetos.
Apenas 30 projetos de Literatura, em média, serão aprovados. Os escritores e editoras concorrem com um percentual de aproximadamente 40% e pessoas jurídicas (Associações, Autarquias, Bibliotecas, Centros Culturais, Cooperativas, Escolas, Fundações, Institutos, Universidades) com mais ou menos 45% dos projetos inscritos. Como já é sabido, só 10% desse total dos projetos de Literatura serão aprovados, garantindo um investimento de 800 mil reais do Programa. A relação dos projetos aprovados será divulgada no próximo mês de outubro/2009. (Juareiz Correya)