quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

UM SÉCULO DE IMPRENSA OFICIAL EM PERNAMBUCO - Texto de Juareiz Correya







IMPRENSA OFFICIAL 
DO ESTADO DE PERNAMBUCO 
(Número 1, primeira página / 
14 de janeiro de 1916) 



     Criado e regulamentado por ato do Poder Executivo, em 27 de dezembro de 1915, em pleno Governo Manoel Antonio Pereira Borba (1915 a 1919), circulou, no Recife, no dia 14 de janeiro de 1916, o primeiro número do jornal IMPRENSA OFFICIAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO, destacando, na primeira página, o Ato e o seu Regulamento, que releva, no seu Artigo 1o. : 
     
       "O Governo manterá em officinas proprias um jornal denominado Imprensa Official do Estado de Pernambuco, destinado á publicação de todos os actos do poder executivo, expediente das repartições, serviço das duas casas do Congresso legislativo e do poder judiciario e demais actos que por lei devem ser publicados na folha official do Estado."   

     O jornal era de pequeno porte (tamanho ofício, 8 páginas) "exclusivamente destinado à divulgação dos atos oficiais do Executivo, funcionando a sua administração e as oficinas gráficas numa das dependências do antigo Ginásio Pernambucano", registra o historiador pernambucano Leduar de Assis Rocha no livro Meio Século de Imprensa Oficial em Pernambuco (Imprensa Oficial, Recife, PE, 1966).  O jornal IMPRENSA OFFICIAL circulou até agosto de 1920, extinto, por exigente contenção de despesas em todos os setores da administração, pelo Governador José Rufino Bezerra Cavalcanti (1919 a 1920), que, por motivo de doença, teve de ser afastado do cargo antes do final do mandato, concluído pelos governadores substitutos Otávio Hamilton Tavares Barreto (1920 a 1921) e Severino Marques de Queirós Pinheiro (1921 a 1922).  

      Sucedeu ao IMPRENSA OFFICIAL, no Governo de Sérgio Teixeira Lins de Barros Loreto (1922 a 1926), o jornal DIÁRIO DO ESTADO (Lei No.1626, de 29 de março de 1924), que circulou pela primeira vez no dia 1o. de junho do mesmo ano.  "Era um jornal de grande formato para a época (56 x 42 cms.), com 8 colunas na largura, composto em linotipo e impresso em máquina plana Heidelberg...  Circulava em edição de 8 páginas em média e era editado pela Repartição de Publicações Oficiais, cujas oficinas gráficas estavam localizadas em dependências da antiga Casa de Detenção", documenta o jornalista J. Gonçalves de Oliveira no livro Subsídios à História da Imprensa Oficial em Pernambuco (Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, Recife, 1986).  

     Em 22 de dezembro de 1926, a Lei No. 1832, do Governador Estácio de Albuquerque Coimbra (1926 a 1930), cria, sob a denominação de Imprensa Official, a repartição editora do DIÁRIO DO ESTADO.  O ato extingue a Repartição de Publicações Oficiais e todo o seu material passa a fazer parte do patrimônio da repartição Imprensa Official.   

     No Governo Agamenon Magalhães (1937 a 1945), a Imprensa Official mudou-se, em janeiro de 1938, da Casa de Detenção para a Rua da Concórdia, 420, no bairro de São José, do Recife,  e o DIÁRIO DO ESTADO passou a ser denominado DIÁRIO OFICIAL, com circulação do primeiro número no dia 1o. de junho de 1944.   

     A repartição Imprensa Official permaneceu no endereço do bairro de São José durante 29 anos. Em 1967, o Governador Nilo Coelho (Lei No. 6.065, do dia 1o. de dezembro) criou a Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, como sucessora dessa repartição, instalada no novo endereço da Rua Coelho Leite, 530, Santo Amaro, Recife, PE, onde permanece até os dias de hoje, em área bem construída e modernamente equipada, mantendo-se em destaque, há décadas, como uma das empresas gráficas e editoriais mais importantes do Nordeste brasileiro.    

     Em seu site oficial (www.cepe.com.br)  a CEPE - vinculada à Secretaria da Casa Civil / Governo do Estado de Pernambuco -  evidencia que "desde a sua criação, se empenha em ser exemplo de modernidade e vanguarda. O investimento em tecnologia e no aperfeiçoamento de rotinas produtivas sempre esteve presente em suas ações.  Pioneira na publicação do DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO, a empresa disponibiliza para consulta universal e gratuita o acervo digital de todas as edições a partir de 1936. A tecnologia empregada permite a busca textual e por datas."    

     O DIÁRIO OFICIAL pode ser acessado no portal da CEPE - www.cepe.com.br -  e, por este site, podem ser acessados também a Revista Continente (sobre manifestações culturais pernambucanas e universais), o Suplemento Pernambuco (dedicado à produção literária), a Cepe Editora (que publica obras relevantes para a cultura pernambucana), o Acervo Documental (conjunto de documentos e imagens digitais que compõem patrimônio memorial de Pernambuco para pesquisadores e estudiosos), Serviços de Digitalização ( Conversão de documentos administrativos ou históricos de qualquer tipo de tamanho para o formato digital) e Serviços Gráficos (produção de livros, revistas, jornais e impressos em geral).   

     O jornalista Ricardo Leitão, atual diretor-presidente da CEPE, lembrou, em seu discurso, na homenagem ao Centenário promovida pela Assembléia Legislativa de Pernambuco (sessão solene realizada no dia 14 / dezembro / 2015), que os resultados alcançados entre 1915 e 2015 são frutos de esforços coletivos : 

       "Remonta ao ato fundador do governador Manoel Borba, em 1915, e passa, em tempos mais recentes, por iniciativas relevantes de outros governadores que impulsionaram a CEPE.  Como Nilo Coelho, em cuja administração foi construída a nova sede; Marco Maciel, quando a CEPE adquiriu a máquina rotativa offset, a primeira de uma imprensa oficial no País; Gustavo Krause e Jarbas Vasconcelos, que investiram na publicação de periódicos culturais; Miguel Arraes, que lançou o primeiro Diário Oficial do País; e Eduardo Campos, com a modernização de todo o parque gráfico."  

       (Recife, dezembro de 2015).  

     




       

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

ASCENSO FERREIRA E O CINEMA COMPLETARAM 120 ANOS EM 2015






POEMAS DE ASCENSO FERREIRA 
(capa) 
- Edição da Nordestal Editora, 
Recife, PE, 1995
(Especial para o Centenário do Poeta) 



          Nascidos, no final do Século 19, em 1895, o poeta brasileiro Ascenso Ferreira (Palmares, 
Pernambuco) e o  Cinema (Paris, França), encontraram-se em um livro, no início da segunda metade do Século 20 (ano de 1951).  O livro de poesia intitulado Xenhenhém, ainda inédito, foi publicado junto com os livros Catimbó (1927) e Cana Caiana (1939) em um conjunto de poesia reunida - o belo volume, em edição de luxo, simplesmente assinado POEMAS - , apresentava o poema CINEMA, com o mágico poder de síntese que o poeta possuía e refinava a cada texto.  Um poeta na 
plenitude da sua maturidade, Ascenso Ferreira eternizou, em versos cênicos-visuais de rica expressão popular (impressões de uma moça do interior que via o Cinema pela primeira vez), a Arte que é sinônimo do Século 20 : 



CINEMA  


- Mas Dona Nina, 
aquilo que é o tal de cinema ? 


O homem saiu atrás da moça, 
pega aqui, pega acolá, 
pega aqui, pega acolá, 
até que pegou-la. 
Pegou-la e sustentou-la ! 
Danou-lhe beijo, 
danou-lhe beijo, 
danou-lhe beijo !... 


Depois entraram pra dentro dum quarto ! 
Fez-se aquela escuridão 
E só se via o lençol bulindo... 


..................................................................................


- Me diga uma coisa, Dona Nina, 
isso presta pra moça ver ?!...    



     Palmas e vivas ! para os dois, que Ascenso e o Cinema merecem, nestes 120 anos que 2015 registra e releva.  
   
     (Texto de Juareiz Correya) 






segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

100 ANOS DA IMPRENSA OFICIAL DE PERNAMBUCO : "A CEPE CONTINUA ESCREVENDO ESTA HISTÓRIA"








PROGRAMAÇÃO COMEMORATIVA DE DEZEMBRO 


HOJE, DIA 14  (18 Horas)


SESSÃO SOLENE, NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DE PERNAMBUCO. 
NA OCASIÃO, 35 FUNCIONÁRIOS COM MAIS DE 25 ANOS DE ATIVIDADE 
RECEBERÃO PLACA ALUSIVA AOS 100 ANOS DA IMPRENSA OFICIAL. 
ÔNIBUS  PARA A ASSEMBLÉIA ESTARÁ À DISPOSIÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS, 
NA FRENTE DA CEPE, A PARTIR DAS 17 HORAS.   










sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

MARIA DE LOURDES HORTAS : 75 ANOS DE POESIA LUSO-BRASILEIRA





AROMAS DA INFÂNCIA
(Contracapa com foto da autora). 
Edição em Portugal, 
no ano de 1965




MARIA DE LOURDES HORTAS  : 
50 ANOS DE POESIA    



          Nascida em Portugal (São Vicente da Beira / Beira Alta, no dia 4 de dezembro de 1940), neste dia do seu 75o. Aniversário, a poetisa Maria de Lourdes Hortas, que vive no Brasil desde os 10 anos de idade, continua, na Vida e na Poesia, com a sua exemplar simplicidade e invejável humildade. Mulher, mãe, avó, amorosíssima com todos os que têm a sorte de estar ao seu lado, e humanamente solidária com aqueles que merecem o seu companheirismo e a sua amizade, na arte da Vida e na vida da Arte.  

          No ano de 1965, a poetisa lançou, com 25 anos de idade, o seu primeiro livro de poesia - Aromas da Infância -, publicado em Portugal pela Edições Panorama (S.N.I. - Palácio Foz - Lisboa).  O livro havia conquistado o primeiro prêmio do Concurso de Manuscritos - Poesia 1963, do S.N. I.  Nos seus 50 anos de fecunda carreira literária dedicada, sobretudo, à Poesia, Maria de Lourdes Hortas produziu um conjunto uniforme, todo harmonizado pela sua voz de terras e águas portuguesas e brasileiras, construído por 8 livros originalíssimos, e que, mesmo tematicamente diversos, parecem ter sido escritos em um só tempo ou mesmo de uma só vez.  É a vida de uma poesia inteira, como se não existissem territórios, fronteiras, rios, mares, cidades, países e continentes tão distintos, como são as suas pátrias Portugal e Brasil.  

          A ser lançado em breve, o livro eletrônico POESIA COMPLETA DE MARIA DE LOURDES HORTAS, que eu tive a sorte de organizar, reunindo todos os seus 8 livros publicados, poemas de 4 antologias e um livro inédito, me deu a alegria de encontrar e conhecer a criação poética de uma mulher que, em meio século, tem elevado e irmanado a sua voz às grandes vozes femininas da Literatura Portuguesa e Brasileira. de hoje e de sempre.  


      Juareiz Correya  

     (Recife, dezembro de 2015)

domingo, 8 de novembro de 2015

CASA DA PALAVRA DE HERMILO (Criação do Site do Escritor Hermilo Borba Filho)











Aprovado no Funcultura Independente 2015 (Funcultura / Fundarpe/ Secretaria de Cultura/
Governo do Estado de Pernambuco), o projeto CASA DA PALAVRA DE HERMILO, do produtor executivo José Terra Correia, é o primeiro projeto de criação e manutenção de Site de um escritor pernambucano de projeção nacional e internacional que será lançado em Pernambuco. E o único Site de Literatura aprovado pelo Funcultura neste ano de 2015.  

O projeto CASA DA PALAVRA DE HERMILO  se apresenta como uma ferramenta, na Internet, 
"oferecendo não só a informação, mas também. e, principalmente, o conhecimento retirado do acervo pessoal do escritor Hermilo Borba Filho em seus processos criativos, seus manuscritos, trechos de livros, crítica literária, teses e estudos acadêmicos, que o apresentam cada vez mais vivo, e intenso às gerações", como assegura a justificativa do projeto. 

Em sua equipe principal, o Site CASA DA PALAVRA DE HERMILO contará com o escritor e editor Juareiz Correya (Coordenação de Conteúdos) e com o jornalista Hugo Henrique Campos (Web-Designer).  

O Site será lançado na rede mundial de computadores. em 2016 - um ano antes do Centenário de Nascimento do Escritor-, no Teatro Cinema Apolo (Fundação Hermilo Borba Filho /  Prefeitura Municipal dos  Palmares) e no Teatro Hermilo Borba Filho (Centro Apolo-Hermilo / Prefeitura do Recife).  

 

domingo, 4 de outubro de 2015

PEQUENAS HISTÓRIAS PEQUENAS : "O CELULAR E O CORAÇÃO", de Juareiz Correya






     O poeta se tornou um empresário bem sucedido.  Foi ao cardiologista, que aconselhou :

     - O celular pode fazer mal ao seu coração. Procure se desfazer dele.

     O poeta não teve dúvida.  Jogou fora o coração.    






__________________________________________
Do livro inédito
PEQUENAS HISTÓRIAS PEQUENAS,
de Juareiz Correya 
- a ser lançado, em breve, em edição digital, 
na Panamerica Livraria
(www.panamericalivraria.com.br) 



domingo, 27 de setembro de 2015

PEQUENAS HISTÓRIAS PEQUENAS : em 64 setembros, o meu primeiro livro de contos







A VINGANÇA. FÁBULA. ANOTAÇÃO SOBRE OS ANJOS.
KRONICA VINTEUM. AUTO MÓVEL. O DUBLÊ. 
TROCADILHO. O CELULAR E O CORAÇÃO. O PREFACIADOR. 
DELETAGEM. EDIPIANO. CHEFE É CHEFE. DIA 12/12. 
TROCADILHO. GORDINHA MESMO. DENTRO DO CORAÇÃO. 
BUCETO. A MEGA-SENA. O PÁSSARO REAL. 
SONHO VIDA. SONHO COM FIM. 
OS CORAÇÕES PORTÁTEIS DE BENITO E BENÍCIA. 
A ÁRVORE DA POESIA. OS LADRÕES ESTÃO TECLANDO TAMBÉM.  
O ERRO DA PALAVRA CERTA. 
O COMPUTADOR QUE QUERIA SER HOMERO.
DESTINOS & IRONIAS. AS MULHERES VIRTUAIS. 
ELE ELA. TUITE CONTO. PRÓXIMO DA MORTE. 
O NOME DO COMUNISTA. SEM CORAÇÃO. 
OS ÓCULOS DA CARA. O ANALFABETO E A BUROCRACIA. 
AS MORTES DA CASA. A VIA-CRÚCIS DE PAULO BRUSCKY. 
A FILHA, A MÃE E O GOLPE MILITAR. 
SOBRE O ESQUECIMENTO. O GUARDADOR DE CHUVAS. 
BUCETA À BRASILEIRA. 
O CORPO SONHA  ou ALÉM DA VIDA E DA MORTE 
(Dez contos em um conto)


     
     Estes são os títulos dos contos do meu livro PEQUENAS HISTÓRIAS PEQUENAS que inicia a minha tetralogia de contos com estes outros livros inéditos : A BIOGRAFIA DE DEUS (Pequenas Histórias do Povo da Cidade dos Palmares), PEQUENAS HISTÓRIAS DE ATLÂNTICA e PEQUENAS HISTÓRIAS AMOROSAS.   

     Até o próximo mês de dezembro, meu primeiro livro de contos será lançado e distribuído comercialmente  na Panamerica Livraria (www.panamericalivraria.com.br) e também será distribuído, como presente dos meus 64 setembros, aos amigos e amigas internautas do Facebook, Gmail, Twitter, Google+ que me enviaram mensagens saudando a minha nova idade.  

     (JUAREIZ CORREYA  / 
     Recife,  Setembro 2015) 

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Associação Eça de Queiroz e Gabinete Português de Leitura - PE homenageiam Centenário do Escritor Paulo Cavalcanti





EÇA DE QUEIROZ, AGITADOR NO BRASIL 
(capa), do escritor pernambucano Paulo Cavalcanti
- Cepe Editora, Recife, PE, 2009


Nesta quinta-feira, dia 20 / agosto, às 19 horas, a Associação Eça de Queiroz, do Recife, por iniciativa do seu presidente, Dr. Sílvio Neves Baptista, homenageia o Centenário de Nascimento do Escritor Paulo Cavalcanti, admirador e estudioso do grande romancista português.   O evento será realizado na Sala Eça de Queiroz, do Gabinete Português de Leitura de Pernambuco, em mesa redonda com a participação do escritor Nivaldo, Magnólia Cavalcanti, filha do homenageado, e da diretoria cultural do GPL-PE, entre outros.  

"Colecionamos emoções.  E Eça é um mar Atlântico delas, nestes cem anos do queirosiano Cavalcanti", escreve J. A. Gonçalves, no blog EÇA & OUTRAS (http://eca-e-outras.blogspot.com), ao noticiar o Centenário de Paulo Cavalcanti em Portugal.     





quarta-feira, 15 de julho de 2015

CHOVE E CHORA O RECIFE (crônica), de Giovanna Guterres








          Águas que lavam telhados das casas da minha rua.  Som incessante que aflige o meu coração. 

        Penso nas pessoas que correm para suas casas após um dia de trabalho em que não se vende nada, não se ganha nada, nem esperança ! 

        Dias de terror que terminam com águas que escorrem nos asfaltos lavando e levando tudo. Homens, mulheres e crianças que esperam transporte nas avenidas  sombrias de uma cidade desolada pela sujeira, pela lama e pela incerteza.   Os estômagos pedem por um pão com um café quentinho... Os braços arrepiados, molhados, tremem de frio.  Os pés encharcados não sabem mais que direção seguir.  Dos olhos das mulheres descem lágrimas. Como  chuva. 

          Mais um dia de sacrifício, de quase dor, que termina na escuridão do esquecimento dos donos dos negócios, do trânsito e da cidade, como se fossem deuses.  Eles estão distantes de tudo isso, em seus lares confortáveis, mesas onde não falta comida, cheias e coloridas, contando o dinheiro negado ao pão com café das almas famintas, cansadas, quase perdidas no asfalto do Recife que chove e chora. 

(Boa Vista, Recife /  15 de julho de 2015) 



          

          



sexta-feira, 19 de junho de 2015

CENTENÁRIO DA POETISA CELINA DE HOLANDA (Cabo de Santo Agostinho, PE, 19 de Junho 1915)




CELINA DE HOLANDA  
(Desenho de Zenival / Recife, PE, 1994) 



     CELINA DE HOLANDA (Celina de Holanda Cavalcanti de Albuquerque) nasceu no dia 19 de Junho  de 1915 no município do Cabo de Santo Agostinho - PE. Viveu, desde a infância, nos engenhos cabenses Ypiranga e Pantôrra.  Vivendo também no Recife, tornou-se jornalista e passou a colaborar nos suplementos literários do Jornal do Commercio e do Diário de Pernambuco, onde divulgou os seus primeiros poemas.  

     Aos 55 anos de idade, Celina de Holanda publicou o seu primeiro livro de poesia intitulado O ESPELHO E A ROSA (Imprensa Universitária / UFPE, Recife, 1970).  Publicou ainda estes livros de poesia : A MÃO EXTREMA (Editora Quíron, São Paulo, SP, 1976), SOBRE ESTA CIDADE DE RIOS (Edições Pirata, Recife, PE, 1979), RODA DÁGUA (Edições Pirata, Recife, PE, 1981), AS VIAGENS (Edições Pirata, Recife, PE, 1984), PANTÔRRA, O ENGENHO (Fundarpe / CEPE, Recife, PE, 1990) e VIAGENS GERAIS (Fundarpe / CEPE, Recife, PE, 1995).  Tem poemas incluídos nas antologias poéticas PALAVRA DE MULHER, organizada por Maria de Lourdes Hortas (Editora Fontana, Rio de Janeiro, RJ, 1979), A COR DA ONDA POR DENTRO, organizada por Maria de Lourdes Hortas (Edições Pirata, Recife, PE, 1981), POÉTICA OLINDENSE (Organização e edição da Academia Olindense de Letras, Olinda, PE, 1981), CARNE VIVA, organizada por Olga Savary (Editora Ânima, Rio de Janeiro, RJ, 1984), ÁLBUM DO RECIFE - antologia de poemas ilustrados -, com organização de Jaci Bezerra e Sylvia Pontual (Prefeitura da Cidade do Recife, PE, 1988) e POESIA VIVA DO RECIFE, organizada por Juareiz Correya (Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, Recife, PE, 1996). 

     A poesia de Celina de Holanda mereceu o incentivo e elogios de nomes importantes da literatura pernambucana e brasileira, a exemplo de Carlos Drummond de Andrade, Artur Eduardo Benevides, José Mário Rodrigues, Armindo Trevisan, Luzilá Gonçalves Ferreira, Audálio Alves, Sonia Prieto Rômulo de Brito, Nelson Saldanha, Jaci Bezerra, Potyguar Matos, Alberto da Cunha Melo e Edmir Domingues.    

     Neste ano do seu Centenário de Nascimento, a Panamerica Nordestal Editora e Produções Culturais, do Recife, com o apoio cultural da Academia Cabense de Letras e das Secretarias de Educação e de Cultura da Prefeitura Municipal do Cabo de Santo Agostinho, promoverá o lançamento, no Cabo e no Recife, de um CD de poemas de Celina de Holanda, coordenado por Jorge Lopes, gravado em sua homenagem, na década de 1990, por poetisas, atrizes e produtoras culturais pernambucanas.  Também serão lançados um livro que reúne os poemas do CD, em edição virtual e impressa, e a reedição do seu livro VIAGENS GERAIS (que reúne todos os livros publicados de Celina de Holanda e os inéditos AFAGO E FACA e TAREFAS DE NIGIAM).  

O site CEPE DOCUMENTO (http://www.cepedocumento.com.br), da Companhia Editora de Pernambuco - CEPE lançará, no segundo semestre deste ano, no Arquivo Especial Centenários de Pernambuco,  o link "Centenário da Poetisa Celina de Holanda",  ao lado de outras personalidades culturais centenárias do Estado. (Texto de JUAREIZ CORREYA) 

domingo, 7 de junho de 2015

"PALMARES ! RETRATOS DE UMA ALMA", de José Bartolomeu Miranda Maciel





     Surge, com extrema sensibilidade, mais uma voz lírica a propagar poesia oriunda da "Terra dos Poetas. Isso espelha a vivência das tradições dessa fecunda região no que se refere ao campo da arte literária.   Credencia-se José Bartolomeu Miranda Maciel (Bartô) com a obra PALMARES ! RETRATOS DE UMA ALMA,,,, oficializa-se a sua carreira de literato.  

     Observei os textos constantes do exemplar e verifiquei a fluência sentimental predominantemente romântica de um poeta que exala o furor de suas emoções.  Vejamos : "Quando os nossos olhos apaixonados se encontravam, / Eram as nossas almas que se beijavam em silêncio."  Esse romantismo é influenciado em parte pelas canções de Roberto Carlos (simplesmente o Rei da Canção Popular Brasileira), do qual Bartô é fã incondicional.  Em comentário, o autor traduz a sua disposição de pensamento ao afirmar que centelha "fotografias de momentos que revelam sentimentos"  :  com isso, no mais abissal da alma, aparecem o delírio e a sensatez.  Nota-se ainda uma carga filosófica : "Por que o homem pensa que sabe tudo / Quando nem sabe dele mesmo ?"   Ressaltem-se os versos "A vida passa como uma eterna fantasia... / ("Demagogia, a roupa da humanidade !..." / "A ambição mata a fraternidade" !"   Bartolomeu nos mostra também uma forte consciência política, ou seja, sabe o dever de cidadão.  Numa visão politizada, discorre sobre o contexto cultural de Palmares em determinado momento : fala da relevância do conhecimento, da arte e critica as desigualdades.

     A saudade prepondera quando o poeta faz alusão ao Engenho Beleza, ao Goiabeira e ao Gravatá. Segue o filme da vida : lembra a Escola Fraternidade Palmarense, o Ginásio Municipal Fernando Augusto Pinto Ribeiro, a Famasul, a Serraria São José, a Cerâmica Sapucaia, o Bar de Zé Mago, A Churrascaria A Carolina... Percebe-se o transbordo emocional quando nos presenteia com alguns detalhes do MANGUEIRÃO, marco de festejos e vivências.  Então, vemos um homem de aguçada memória, isso é importantíssimo para um escritor.

     O poeta nos contempla com este livro PALMARES ! RETRATOS DE UMA ALMA... em um momento de efervescência : a literatura está em relevo com a instalação da Academia Palmarense de Letras.  Vamos aproveitar a leitura e nos envolver junto com o poeta nessa prazerosa viagem que resolveu compartilhar conosco.  Boa leitura !  

(Apresentação de IOLITA CAMPOS) 


______________________________________________________________
Texto transcrito do livro PALMARES ! RETRATOS DE UMA ALMA, 
lançado pela Edições Bagaço (Recife), com apoio da Fundação Casa da 
Cultura Hermilo Borba Filho / Prefeitura Municipal dos Palmares, 
nesse sábado, dia 6 / junho / 2015, às 20 horas, no Teatro Cinema Apolo, 
Centro - Palmares - PE. 
Homenagem ao Aniversário da TERRA DOS POETAS 
(Terça-feira, dia 9 de Junho) 


quinta-feira, 30 de abril de 2015

POESIA VIVA NAS ESCOLAS DA MATA SUL : Apresentação de 32 poetas contemporâneos de Pernambuco





     Estudantes de Ensino Médio, de 8 municípios pernambucanos - Palmares, Catende, Água Preta, Ribeirão, Amaraji, Cortês, Rio Formoso e Gameleira -,  vão se encontrar com poetas pernambucanos do Recife, Grande Recife, Mata Sul e de cada um dos municípios citados, em um recital aberto e palestras, para conhecer de perto e de viva voz os trabalhos literários, publicados ou inéditos, desses autores.  

     O projeto POESIA VIVA NAS ESCOLAS DA MATA SUL, incentivado pelo Funcultura / Fundarpe / Secretaria de Cultura / Governo de Pernambuco, realizará esse encontro, em cada um desses municípios, a partir do próximo mês de agosto, nas últimas semanas de cada mês do segundo semestre deste ano letivo de 2015 e no primeiro semestre de 2016.  

     O poeta palmarense José Terra, responsável pela produção executiva do projeto, com curadoria do poeta e editor Juareiz Correya, informa que já estão confirmadas as apresentações destes poetas do Recife - Marco Polo Guimarães, Maria de Lourdes Hortas, Júlia Lemos, Rogério Generoso, Flávio Chaves, Márcia Maracajá, Pedro Américo e Cida Pedrosa -, e destes poetas do Grande Recife - Antonio de Campos (Olinda), Frederico Spencer (Jaboatão), Fátima Ferreira (Olinda), Malungo (Paulista), Joel Marcos (Cabo de Santo Agostinho), Ivan Marinho Filho (Cabo de Santo Agostinho), Natanael Lima Jr. (Jaboatão) e Odmar Braga (Paulista).

     Os poetas locais - da Mata Sul e dos municípios programados - serão selecionados e confirmados pela curadoria do projeto POESIA VIVA NAS ESCOLAS DA MATA SUL ainda neste mês de maio/2015.



sábado, 18 de abril de 2015

"FEIRA DE PALAVRAS", de Juareiz Correya





(sobre poema de Marcelo Mário de Melo) 




Palavra com asa 
Pra mim é "passarim"... 
Rural ou urbana 
Lúcida ou insana  
Puta, soberana, 
Palavra que voa 
é a mais humana : 
POESIA        



(Recife, 30 de junho 2012)


________________________________________
Do livro inédito POEMAS DO NOVO SÉCULO 

terça-feira, 7 de abril de 2015

PRÊMIO CEPE NACIONAL DE LITERATURA distribuirá R$ 80 mil com vencedores






     Dentro da programação comemorativa dos 100 anos da Imprensa Oficial de Pernambuco, a Companhia Editora de Pernambuco está realizando o Prêmio Cepe Nacional de Literatura, que deve mobilizar escritores de todo o País.  O edital do concurso está disponível, desde quarta-feira passada (01/abril) no site da Editora (http://www.cepe.com.br), no link Licitações, e também no site da Secretaria de Administração do Estado (http://www.portais.pe.gov.br/web/seadm), no link Painel de Licitações.  

     O Prêmio Cepe vai distribuir com os vencedores um valor total de R$ 80 mil, sendo R$ 20 mil para o primeiro lugar de cada uma das categorias contempladas no concurso : romance, conto, poesia e literatura infantojuvenil.  Os ganhadores terão suas obras editadas e lançadas pela Cepe.   

     As inscrições serão realizadas, de forma gratuita, no período de 15 de abril a 15 de maio de 2015. O anúncio dos resultados será no dia 1o. de setembro e a entrega dos prêmios no mês de dezembro.  Podem participar do Prêmio Cepe brasileiros residentes no país ou no exterior, bem como estrangeiros naturalizados.  

     Outro pré-requisito do concurso é que, além de serem escritas em português, as obras sejam inéditas, isto é, não tenham sido publicadas (parcialmente ou em sua totalidade) em coletâneas, suplementos literários, jornais, revistas, sites, blogs ou qualquer outro veículo.  

     A Editora já é organizadora de dois consagrados eventos literários, o Concurso Cepe de Literatura Infantil e Juvenil e o Prêmio Pernambuco de Literatura, este em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado e a Fundarpe.

     (Texto de Gilson Oliveira /  
      Assessoria de Comunicação / CEPE) 


domingo, 29 de março de 2015

CEPE lança concurso de logomarca : "100 anos da Imprensa Oficial do Estado de Pernambuco"





     A Companhia Editora de Pernambuco - CEPE, da Secretaria da Casa Civil / Governo do Estado de Pernambuco, lançou concurso para criação de logomarca comemorativa dos 100 anos da Imprensa Oficial do Estado (1915 - 2015).  O edital do concurso está disponível neste link : http://www.cepe.com.br/index.php/100-anos.html

     O autor do projeto vencedor receberá um prêmio de R$ 10.000,00 (dez mil reais) depositado na sua conta bancária.  As inscrições para os projetos concorrentes estão abertas até o próximo dia 30 de abril / 2015. O resultado do concurso será divulgado no mês seguinte, dia 15 de maio, por este endereço eletrônico : http://concursologomarca100anos@cepe.com.br    

     Pode participar qualquer brasileiro nato ou naturalizado, independente de sexo, etnia, residência, idade ou formação cultural, religiosa ou política, desde que atenda as exigências do Edital e inscreva projeto inédito de sua própria autoria e propriedade.  É vedada a participação de pessoas jurídicas
(empresas e instituições de natureza pública ou privada), ocupantes de cargos de direção da CEPE, além de consultores e colaboradores contratados para prestar serviços no Concurso, seus cônjuges e parentes em primeiro grau.  

     A logomarca vencedora será utilizada em todos os eventos comemorativos do aniversário da Imprensa Oficial / Companhia Editora de Pernambuco - CEPE e material de divulgação alusivo ao mesmo : em folders, cartazes, selos, panfletos, envelopes, páginas na Internet, vídeos, impressos oficiais e outros.    


terça-feira, 17 de março de 2015

"POETAS DOS PALMARES" NA INTERNET : PALESTRA NO TEATRO CINEMA APOLO (7)





Teatro Cinema Apolo, 
sede da Fundação Casa da Cultura 
Hermilo Borba Filho : 
100 Anos (1914-2014) 



     A produção eletrônica (ebook) da antologia POETAS DOS PALMARES, em sua 4a. edição revista e aumentada,  será lançada neste primeiro semestre de 2015 em homenagem ao Centenário de Fundação do Teatro Cinema Apolo (1914-2014), de Palmares, PE, e em homenagem ao 120o. aniversário de nascimento do poeta Ascenso Ferreira (Palmares, maio de 1895).  

     Apresentamos a relação dos novos poetas que serão incluídos na edição eletrônica da antologia POETAS DOS PALMARES e que integram a quarta parte do livro (um conjunto de poemas não apresentado em nenhuma das  edições impressas anteriores) : 


PALMARES 2000 / 2014 


ANNA COSTA - ANA MARTA -  AVANI AZEVEDO - CÉLIO QUEIROZ - CÍCERO FELIPE  - DAYSE LIMA PINHEIRO - DILSON SIQUEIRA ASSUNÇÃO - FERNANDO ARAÚJO  - FRANCISCA RODRIGUES  - GENÉSIO CAVALCANTI  - GILBERTO MELO - GIOVANNA GUTERRES - HELENO VALDIVINO DA SILVA - HENRIQUE ARRUDA - JANILSON SALES - JAORISH GOMES TELES DA SILVA - JAVANCI BISPO - JESSIVA SABINO DE OLIVEIRA - JOÃO CONSTANTINO - JOÃO DE CASTRO RIBEIRO - JOÃO LOVER - JOSÉ DURAN Y DURAN - JOSÉ RIBEIRO DA SILVA - JUAREZ CARLOS - KARINA PATRÍCIA LUCENA GALVÃO - LUCHIA ANDRADE - MANUELA LIRA - MARCONDES JOSÉ TORRES CALAZANS - MARIA DA CONCEIÇÃO SANTOS FERREIRA - MARIA DO SOCORRO BARROS Y DURAN - MARISTELA DE FREITAS OLIVEIRA - NINAH MARIA - NONATO BARAKAH - PAULO CARNEIRO - REJANE CORREIA DA SILVA MELLO - RICARDO GUERRA -  ROBERTO DE QUEIROZ - ROSÂNGELA DE CARVALHO LAFAYETTE - TONY ANTUNES - VIRGÍNIA CELESTE.   


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

"POETAS DOS PALMARES" NA INTERNET : PALESTRA NO TEATRO CINEMA APOLO (6)





POETAS DOS PALMARES 
(Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho / 
Prefeitura dos Palmares, 3a. edição, 2002) 



     Na palestra apresentada em outubro / 2014, destacamos os nomes dos autores incluídos na terceira edição da antologia POETAS DOS PALMARES, relacionados nesta ordem : 

     ADMMAURO GOMES - APARECIDA VENTURA - ALDO SOARES - ANA SARA - BETÂNIA PINHEIRO - DORA ANGEIRAS - DORINHA FERREIRA - ELIAS SABINO DE OLIVEIRA - FLÁVIA CEDRIM FALCÃO - HERMILO BORBA FILHO  - INÊS FALCÃO - IVANDELMA GABRIEL - JORDANA DO CARMO R. MACIEL - JOSE BARTOLOMEU MIRANDA MACIEL - JOSÉ MARIA SALES (PICA-PAU) - JOSÉ TERRA - JUCIMAR SIQUEIRA (MAZINHO) - JUSSARA KOURY - LAÍS VASCONCELOS SÁ BARRETO - LINDINALVA DE LIMA - LUCIANO FRANÇA - LUIZ DE OLIVEIRA - MARGARIDA DE MESQUITA - MARCOS MEYER - SEVERINO CASSIANO FERREIRA - WILSON ALVES DOS SANTOS - ZEZINHA ALVES DE SOUZA  

     Na próxima postagem apresentaremos os nomes de todos os novos poetas que serão incluídos, ao lado dos autores já citados das três edições impressas, na edição eletrônica (ebook) da antologia POETAS DOS PALMARES, a ser lançada no próximo mês de maio deste ano de 2015, homenageando também o 120o. aniversário de nascimento do poeta Ascenso Ferreira.