sexta-feira, 12 de março de 2010

EDUARDO CAMPOS : "REVOLUÇÃO DE 1817 NÃO RECEBE DESTAQUE MERECIDO"




"Cada vez que a gente revisita 1817 confirma o pioneirismo dos pernambucanos, nossa fé no futuro do Brasil e de nossa terra.

(...)

Cinco anos antes do grito do Ipiranga, houve o grito às margens do Capibaribe.

(...)

Nós perdemos território, fomos perseguidos, e neste momento bonito que vive Pernambuco de reconquistar seu relevo no Brasil, é importante contar essa história, comemorar o 6 de março e homenagear os pernambucanos que, há quase 200 anos, gritaram por liberdade de expressão, de imprensa, religiosa, contra a discriminação por cor ou credo."




(Do discurso do Governador Eduardo Campos exaltando a Revolução Pernambucana de 1817, Dia 6 de Março, Data Magna do Estado)


_____________________________________________

Fonte : SECRETARIA DE IMPRENSA / PORTAL DA CEPE
(http://www.cepe.com.br). Notícia de 09/03/2010

quinta-feira, 11 de março de 2010

ANGOLA PEDE PARA "RETIFICAR" ACORDO ORTOGRÁFICO

De acordo com informações do site PORTUGAL DIGITAL (http://www.portugaldigital.com.br), em 09/03/2010, Angola solicitou uma moratória de três anos para ratificar o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa pela necessidade de incluir o vocabulário angolano comum. Segundo o parlamentar Reis Cuanga, integrante da delegação angolana a II Assembléia Parlamentar da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizada neste mês de março, em Lisboa, "Angola não ratificou o Acordo à semelhança de Moçambique, solicitou três anos para que possa implementar na totalidade esse instrumento, pois entende que deve haver reciprocidade na sua aplicação, com a integração do vocabulário angolano no comum." Reis Cuanga exemplifica : deve se escrever "kwanza" em vez de "cuanza", como se pretende no novo acordo ortográfico da língua portuguesa.


Na verdade, Angola pede para RETIFICAR o Acordo Ortográfico. Não é apenas tempo para RATIFICAR. (Juareiz Correya)