sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

MARIA DE LOURDES HORTAS : 75 ANOS DE POESIA LUSO-BRASILEIRA





AROMAS DA INFÂNCIA
(Contracapa com foto da autora). 
Edição em Portugal, 
no ano de 1965




MARIA DE LOURDES HORTAS  : 
50 ANOS DE POESIA    



          Nascida em Portugal (São Vicente da Beira / Beira Alta, no dia 4 de dezembro de 1940), neste dia do seu 75o. Aniversário, a poetisa Maria de Lourdes Hortas, que vive no Brasil desde os 10 anos de idade, continua, na Vida e na Poesia, com a sua exemplar simplicidade e invejável humildade. Mulher, mãe, avó, amorosíssima com todos os que têm a sorte de estar ao seu lado, e humanamente solidária com aqueles que merecem o seu companheirismo e a sua amizade, na arte da Vida e na vida da Arte.  

          No ano de 1965, a poetisa lançou, com 25 anos de idade, o seu primeiro livro de poesia - Aromas da Infância -, publicado em Portugal pela Edições Panorama (S.N.I. - Palácio Foz - Lisboa).  O livro havia conquistado o primeiro prêmio do Concurso de Manuscritos - Poesia 1963, do S.N. I.  Nos seus 50 anos de fecunda carreira literária dedicada, sobretudo, à Poesia, Maria de Lourdes Hortas produziu um conjunto uniforme, todo harmonizado pela sua voz de terras e águas portuguesas e brasileiras, construído por 8 livros originalíssimos, e que, mesmo tematicamente diversos, parecem ter sido escritos em um só tempo ou mesmo de uma só vez.  É a vida de uma poesia inteira, como se não existissem territórios, fronteiras, rios, mares, cidades, países e continentes tão distintos, como são as suas pátrias Portugal e Brasil.  

          A ser lançado em breve, o livro eletrônico POESIA COMPLETA DE MARIA DE LOURDES HORTAS, que eu tive a sorte de organizar, reunindo todos os seus 8 livros publicados, poemas de 4 antologias e um livro inédito, me deu a alegria de encontrar e conhecer a criação poética de uma mulher que, em meio século, tem elevado e irmanado a sua voz às grandes vozes femininas da Literatura Portuguesa e Brasileira. de hoje e de sempre.  


      Juareiz Correya  

     (Recife, dezembro de 2015)